sicnot

Perfil

Desporto

Gudjohnsen vai jogar na Liga indiana aos 37 anos

© Reuters Staff / Reuters

O veterano islandês Eidur Gudjohnsen, de 37 anos, antigo avançado do Chelsea e do FC Barcelona, assinou esta quarta-feira contrato com a Liga Indiana de Futebol, na qual vai jogar pela equipa FC Pune City.

"Havia outros clubes interessados em contratar-me, mas quando soube do interesse do FC Pune City e tomei conhecimento do projeto do clube, soube de imediato que era isto que queria", disse Gudjohnsen, que representou a Islândia no Euro2016, vencido pela seleção portuguesa.

O jogador, que tem 88 internacionalizações pela Islândia, em representação da qual marcou 26 golos, sagrou-se por duas vezes campeão inglês, ao serviço do Chelsea, então treinado pelo português José Mourinho, e conquistou uma Liga dos Campeões, pelo FC Barcelona.

A Liga indiana, na qual se encontram os jogadores portugueses Hélder Postiga, Simão Sabrosa ou Miguel Garcia, conta também com antigos jogadores de topo do futebol mundial, como Diego Forlán, Lúcio, Anelka e John Arne Riise, e decorrerá de outubro a dezembro, com oito clubes.

Lusa

  • A casa dos horrores
    7:57
  • PGR e presidente do Supremo deixam recado à ministra da Justiça
    2:45

    País

    Durante a abertura do ano judicial, a Procuradora-Geral da República e o presidente do Supremo Tribunal aproveitaram para deixar um recado à ministra da Justiça: é urgente aprovar o novo estatuto de juízes e magistrados. O presidente do Supremo diz que é injusta a má imagem da Justiça e pediu contenção aos magistrados.

  • Rui Rio tem sentido "alguma turbulência" no PSD
    2:01

    País

    Rui Rio e Pedro Passos Coelho tiveram esta quinta-feira a primeira reunião, desde que foi eleito o novo líder do PSD. À saída, Passos Coelho desejou que esta transição decorra com naturalidade. Já Rui Rio disse que tem sentido alguma turbulência no partido.

  • Sindicatos rejeitam fim das baixas médicas até três dias
    2:02

    País

    A CGTP quer levar o tema das baixas médicas à Concertação Social, já a UGT diz que há outras matérias prioritárias. Ainda assim as duas centrais sindicais lembram que a não justificação de faltas pode dar origem a um despedimento por justa causa. Esta quinta-feira o bastonário da Ordem dos Médicos propôs ao Governo que acabe com as baixas de curta duração, até três dias.

  • Papa interrompe percurso no Chile para ajudar polícia
    0:21
  • "Mundo à Vista" no Gana
    7:38