sicnot

Perfil

Desporto

Ultramaratonista reencontra cadela que o seguiu durante 125 quilómetros

Após vários dias de buscas na remota região noroeste da China, o ultramaratonista Dion Leonard reencontrou a cadela "Gobi", que ficou mundialmente famosa quando seguiu este atleta australiano durante uma dura prova num deserto chinês.

"Gobi" recebeu o nome do deserto onde foi realizada a prova, o quinto maior deserto do mundo que ocupa o norte da China e o sul da Mongólia.

"Está bem e salva, com uma pata ligeiramente magoada, mas feliz por ver Dion", contaram os voluntários da campanha #BringGobiHome (Trazer Gobi para Casa, em português), criada inicialmente para o atleta levar "Gobi" para a sua residência em Edimburgo (Escócia) mas que nos últimos dias ficou inteiramente dedicada às buscas do animal, que estava desaparecido há vários dias.

Dion Leonard, de 41 anos, conheceu "Gobi" em junho passado quando o animal começou a segui-lo, sem descanso, nas primeiras etapas da Marcha do Gobi, uma ultramaratona de 250 quilómetros que atravessa zonas desérticas com temperaturas que podem superar em algumas ocasiões os 50 graus celsius.

Durante 125 quilómetros, o animal manteve-se sempre ao lado do atleta e os dois estabeleceram uma forte ligação. Durante os restantes quilómetros, Dion Leonard levou a cadela para a sua tenda e decidiu adotá-la.

Lançou depois a campanha #BringGobiHome para tentar angariar o dinheiro necessário para as despesas de vacinação e para os documentos necessários para a viagem do animal, um processo que devia demorar pelo menos quatro meses.

O atleta foi informado este mês pelas autoridades de Urumqi, capital da região chinesa de Xinjiang (noroeste, onde foi realizada a ultramaratona) que a cadela tinha desaparecido de um centro de acolhimento para animais onde tinha sido recebida para cumprir um período de quarentena.

Dion Leonard decidiu regressar à China para colocar cartazes com imagens de "Gobi" nas ruas e participar nas buscas, que se prolongaram durante uma semana.

A história de "Gobi" mobilizou a sociedade civil chinesa e foi relatada pelos 'media' internacionais.

"Estamos verdadeiramente felizes por estarmos juntos outra vez", escreveu hoje o atleta na conta da campanha #BringGobiHome na rede social Facebook, mensagem acompanhada por um vídeo que mostra a cadela "Gobi".

Lusa

  • Madonna diz que América nunca desceu tão baixo
    2:12

    Mundo

    No mundo artístico, foram várias as vozes que se levantaram contra Trump, entre elas Madonna. A cantora disse esta quinta-feira em Nova Iorque, a propósito do dia da tomada de posse, que nunca a América desceu tão baixo. Já o ator Matthew McConaughey - que está em Londres - garantiu que não ia perder a cerimónia pela televisão.

  • Artista que criou poster de Obama quer invadir EUA com símbolos de esperança

    Mundo

    Shepard Fairey - o artista por trás do tão conhecido cartaz vermelho e azul "Hope" de Barack Obama, durante a campanha eleitoral de 2008 nos EUA - produziu uma série de novas imagens a tempo da tomada de posse de Donald Trump, na sexta-feira. Agora, o artista e a sua equipa querem manifestar uma posição política com a campanha "We The People", contra as ideias que o Presidente eleito tem defendido.

  • Videoclipe mostra mulheres a fazer tudo o que é proibido na Arábia Saudita
    1:55

    Mundo

    Um grupo de mulheres canta, dança e faz outras coisas proibidas na Arábia Saudita como forma de protesto. O vídeo é uma crítica social à forma como as mulheres islâmicas são tratadas pelos maridos. Na letra constam frases como "Faz com que os homens desapareçam da terra" e "Eles provocam-nos doenças psicológicas". A ideia partiu de um homem, Majed al-Esa e já conta com 5 milhões de visualizações.

    Patrícia Almeida