sicnot

Perfil

Desporto

Mourinho desvaloriza rivalidade com Guardiola e destaca "controlo emocional"

José Mourinho relativizou esta sexta-feira a rivalidade com o treinador Pep Guardiola, pois "só os jogadores" interessam no dérbi de sábado entre o seu Manchester United e o Manchester City, na quarta jornada da Liga inglesa de futebol.

"Controlo emocional" no jogo foi a chave do discurso do técnico português, que passou ao lado das perguntas para comentar a rivalidade com o técnico espanhol, do tempo em que este estava no FC Barcelona e Mourinho no Real Madrid.

Às perguntas diretas sobre si e Guardiola, Mourinho atirou um "são muito boa equipa", elogio que estendeu às últimas "duas, três, quatro épocas".

"Talvez desde que chegou o novo dono do clube. O City é uma equipa muito boa, com muito bons treinadores -- como acontece agora -- e jogadores, sendo que compraram ainda mais alguns. Lutam pelo título e temos de respeitá-los por isso", vincou.

Em causa está a liderança do campeonato, que os rivais de Manchester partilham com o Chelsea, com o pleno de nove pontos em três desafios.

A ausência do avançado rival Sergio Aguero, que cumpre castigo de três jogos por cotovelada a um adversário do West Ham, foi minimizada, com Mourinho a defender mesmo que isso só lhe traz mais problemas.

"Pode parecer contraditório, mas sem o Aguero é mais difícil. Tentamos reduzir a imprevisibilidade do jogo. Sabemos que eles têm imensas opções. Sem saber quem joga é mais difícil", justificou.

José Mourinho realçou ainda o facto do Manchester City ser uma equipa "incrível" e com "ricas opções".

Lusa

  • "O PSD não é o bombeiro de serviço desta geringonça"
    1:09

    TSU

    O líder da bancada social-democrata avisa os partidos da esquerda para que tenham o caso da TSU como exemplo e não voltem a usar o PSD como muleta em situações em que não estejam de acordo com o Governo, como pode vir a acontecer com as PPP no setor da saúde. Luís Montenegro foi entrevistado esta manhã na SIC Notícias.

  • Artista que criou poster de Obama quer invadir EUA com símbolos de esperança

    Mundo

    Shepard Fairey - o artista por trás do tão conhecido cartaz vermelho e azul "Hope" de Barack Obama, durante a campanha eleitoral de 2008 nos EUA - produziu uma série de novas imagens a tempo da tomada de posse de Donald Trump, na sexta-feira. Agora, o artista e a sua equipa querem manifestar uma posição política com a campanha "We The People", contra as ideias que o Presidente eleito tem defendido.