sicnot

Perfil

Desporto

Ceferin quer rever acordo para a Champions que beneficia as grandes federações

O novo presidente da UEFA, o esloveno Aleksander Ceferin, disse esta quarta-feira que a revisão do novo acordo para a Liga dos Campeões em futebol, que beneficia as quatro federações mais poderosas da Europa, será a sua prioridade.

"Sobre a Liga dos Campeões, ainda não fomos devidamente informados. Temos de nos sentar com as 55 federações nacionais para ver qual foi o acordo e o que poderemos fazer no futuro relativamente a ele", indicou Ceferin, em conferência de imprensa.

O dirigente esloveno, que hoje se tornou o sétimo presidente do organismo regulador do futebol europeu, ao vencer o holandês Michael van Praag no Congresso Extraordinário, realizado em Atenas, afirmou mesmo que "será o primeiro assunto" que vai tratar.

Várias federações manifestaram-se contra o acordo anunciado a 26 de agosto pelo Comité Executivo da UEFA para o período 2018-2021, segundo o qual Alemanha, Espanha, Inglaterra e Itália têm assegurados quatro lugares diretos na principal prova continental de clubes.

A "luta contra os resultados combinados, o racismo e a segurança" são algumas das principais 'bandeiras' do programa de candidatura do novo líder da UEFA, que pretende também "reforçar o 'fair-play' financeiro", responsável pela aproximação entre os grandes e os pequenos clubes.

Ceferin considerou que a forma clara como venceu Van Praag, com 42 votos contra 13 do holandês, é um sinal de que o futebol europeu está preparado para "tempos de mudança", antecipando a criação de novos órgãos de controlo dentro da UEFA.

Van Praag encarou a derrota como fazendo "parte do desporto", felicitando o rival esloveno, que "tem os mesmos objetivos".

"Hoje, a democracia falou e respeito-a", disse o presidente da Federação Holandesa de Futebol.

Lusa

  • Negócios do Fogo
    22:00
  • Direção da Raríssimas na Madeira demitiu-se em setembro
    1:58

    País

    Três representantes da Raríssimas na ilha da Madeira demitiram-se, em setembro, de costas voltas para a direção. A delegação da instituição na ilha começou em 2015 e fechou com as três demissões. Em entrevista à SIC, uma das antigas delegadas afirmou que todos os fundos angariados foram para a sede, em Lisboa, ficando depois sem dinheiro para pagar as despesas.

  • Deputado do PSD recusa vice-presidência da Raríssimas
    1:58

    País

    Nas reações políticas ao caso da Raríssimas, o PSD e CDS dizem que é preciso acionar todos os mecanismos legais apropriados para averiguar a situação. O deputado social-democrata, Ricardo Baptista Leite, que tinha sido convidado recentemente para vice-presidente da instituição, diz que já não há condições para tomar posse.

  • Turistas aproveitam nevão na Serra da Estrela
    1:23
  • Fortes nevões no norte da Europa
    0:59
  • Dezenas de feridos em protestos contra decisão de Trump em Israel
    1:55
  • A brincadeira de um youtuber que podia ter acabado mal

    Mundo

    Um jovem youtuber inglês enfiou a cabeça num saco de plástico, prendeu-a na parte interna de um microondas e encheu depois o eletrodoméstico com cimento. A brincadeira, que podia ter acabado de forma trágica, deixou o jovem completamente preso e obrigou à intervenção dos serviços de emergência.

    SIC

  • "Popeye" russo pode ter que amputar braços

    Mundo

    Um jovem russo injetou um óleo no corpo para conseguir ter músculos, mais propriamente nos seus braços, que já cresceram cerca de 25 centímetros. Contudo, segundo um médico, o procedimento pode levar à necessidade de amputação, deixando o jovem sem os membros.