sicnot

Perfil

Desporto

Schumacher "não consegue caminhar", diz advogado do ex-piloto em tribunal

Michael Schumacher "não consegue caminhar nem pôr-se de pé, mesmo com a ajuda de terapeutas". A revelação foi feita pelo advogado do ex-piloto de Fórmula 1 num tribunal alemão, num processo contra a revista Bunte, que no final do ano passado publicou um artigo no qual referia que Schumacher conseguia dar alguns passos e levantar um braço.

O piloto alemão, sete vezes campeão mundial de Fórmula 1, sofreu graves lesões cerebrais num acidente quando esquiava nos Alpes franceses, em dezembro de 2013.

Depois de ter estado vários meses em coma, Schumacher foi transferido para casa no final do ano passado, onde é assistido por uma equipa de médicos e fisioterapeutas.

A Bunte, revista alemã que acompanha a vida dos famoso, publicou por altura do Natal passado que Schumacher, agora com 47 anos, poderia voltar a andar. Na altura a agente do piloto, Sabine Kehm, veio de imediato desmentir a informação. "Infelizmente somos obrigados a esclarecer, devido a uma notícia publicada recentemente, que não é verdade que Michael Schumacher possa voltar a andar".

"Esta especulação é irresponsável, dada a gravidade das suas lesões a sua privacidade é muito importante. Infelizmente este tipo de notícias vem dar falsas esperanças a muitas pessoas", frisou Sabine Kehm.

  • Caixa multibanco assaltada em Portugal a cada dois dias
    2:43

    País

    O semanário Expresso conta que a mulher que morreu vítima de um disparo de agentes da PSP foi atingida pelas costas. O caso está a ser investigado pela PJ, que procura encaixar as peças da noite que acabou com uma morte inocente mas que começou com uma perseguição a um grupo de assaltantes de um multibanco. Assaltos que são cada vez mais comuns e que preocupam o Governo. A cada dois dias, uma caixa é assaltada.

  • Metro de Lisboa vai reduzir consumo de água

    País

    O Metro de Lisboa colocou em prática um programa para reduzir o consumo de água devido à situação de seca em Portugal, respondendo assim ao apelo do Ministério do Ambiente, segundo um comunicado divulgado este sábado.