sicnot

Perfil

Desporto

Egito bate Itália e passa aos quartos do Mundial 2016 de futsal

© Lusa

O Egito provocou uma nova surpresa no Mundial de futsal, ao eliminar a Itália na quinta-feira, com uma vitória por 4-3, no prolongamento, assegurando a última vaga nos quartos de final da competição que decorre na Colômbia.

Um dia depois de o Irão ter afastado o bicampeão Brasil nos oitavos de final, os vice-campeões africanos deixaram pelo caminho a terceira classificada das duas últimas edições do Mundial, graças a um golo de Abdelrahman Elashwal, aos 48 minutos, a completar um hat-trick e a desfazer o 3-3 registado no final do tempo regulamentar.

Elashwal, aos 7 e aos 19 minutos, e Essam, aos 34, marcaram os golos do Egito antes do tempo extra, enquanto Murilo, aos 7 e aos 35, e Ercolessi, aos 20, fizeram os tentos da Itália.

Nos quartos de final, o Egito vai defrontar a Argentina, que também se qualificou na quinta-feira, ao bater a Ucrânia por 1-0, também após prolongamento, graças a um golo de Leandro Cuzzolino.

Antes, Portugal ficou a saber que vai discutir o acesso às meias-finais com o Azerbaijão, que superou a Tailândia por 13-8, após prolongamento, em encontro dos oitavos de final, disputado em Medellin.

O embate dos quartos de final entre Portugal e o conjunto azeri está marcado para domingo, pelas 18:00 locais (00:00 de segunda-feira, em Lisboa), no Coliseo el Pueblo, em Cali.

Nos oitavos de final, o Azerbaijão só conseguiu desbloquear o jogo frente à Tailândia no prolongamento, período em que marcou seis golos, depois de se ter atingido o final do tempo regulamentar com um empate 7-7.

Fineo (cinco), Thiago Bonilha (três), Vassoura (dois), Vitaliy Borisov, Fabio Poletto e o guarda-redes Rovshan Huseynli apontaram os tentos dos azeris, no embate com mais golos (21) da edição de 2016 do Mundial, superando os 18 da goleada do Brasil a Moçambique (15-3).

Lusa

  • O que vai mudar nos recibos verdes
    2:55
  • Democratas não venciam no Alabama há 27 anos
    1:50
  • Costa anuncia reunião sobre neutralidade carbónica em fevereiro
    2:03

    País

    O Presidente francês defende que é preciso ir mais longe e mais rápido na luta contra as alteração climáticas, numa resposta à decisão de Donald Trump de retirar os EUA do Acordo de Paris. Em fevereiro, será a vez de Portugal organizar uma reunião sobre energia e transportes.