sicnot

Perfil

Desporto

Egito bate Itália e passa aos quartos do Mundial 2016 de futsal

© Lusa

O Egito provocou uma nova surpresa no Mundial de futsal, ao eliminar a Itália na quinta-feira, com uma vitória por 4-3, no prolongamento, assegurando a última vaga nos quartos de final da competição que decorre na Colômbia.

Um dia depois de o Irão ter afastado o bicampeão Brasil nos oitavos de final, os vice-campeões africanos deixaram pelo caminho a terceira classificada das duas últimas edições do Mundial, graças a um golo de Abdelrahman Elashwal, aos 48 minutos, a completar um hat-trick e a desfazer o 3-3 registado no final do tempo regulamentar.

Elashwal, aos 7 e aos 19 minutos, e Essam, aos 34, marcaram os golos do Egito antes do tempo extra, enquanto Murilo, aos 7 e aos 35, e Ercolessi, aos 20, fizeram os tentos da Itália.

Nos quartos de final, o Egito vai defrontar a Argentina, que também se qualificou na quinta-feira, ao bater a Ucrânia por 1-0, também após prolongamento, graças a um golo de Leandro Cuzzolino.

Antes, Portugal ficou a saber que vai discutir o acesso às meias-finais com o Azerbaijão, que superou a Tailândia por 13-8, após prolongamento, em encontro dos oitavos de final, disputado em Medellin.

O embate dos quartos de final entre Portugal e o conjunto azeri está marcado para domingo, pelas 18:00 locais (00:00 de segunda-feira, em Lisboa), no Coliseo el Pueblo, em Cali.

Nos oitavos de final, o Azerbaijão só conseguiu desbloquear o jogo frente à Tailândia no prolongamento, período em que marcou seis golos, depois de se ter atingido o final do tempo regulamentar com um empate 7-7.

Fineo (cinco), Thiago Bonilha (três), Vassoura (dois), Vitaliy Borisov, Fabio Poletto e o guarda-redes Rovshan Huseynli apontaram os tentos dos azeris, no embate com mais golos (21) da edição de 2016 do Mundial, superando os 18 da goleada do Brasil a Moçambique (15-3).

Lusa

  • As primeiras decisões do Presidente Trump
    1:39
  • "Há sobretudo um fosso entre o discurso que Trump faz e os de Obama"
    6:13

    Opinião

    Cândida Pinto e Ricardo Costa analisaram a tomada de posse de Donald Trump. O diretor de informação da SIC disse que o discurso de Trump "mexe com a sua base de apoio" e defende que "a grande questão não vai ser a relação com a Rússia, mas sim com a China". Já a Editora de internacional disse que o discurso foi "voltado para dentro, nacionalista, partidarista, com ataque à elite de Washington".

    Ricardo Costa e Cândida Pinto

  • Celebridades protestam contra Trump
    3:00

    Mundo

    Tem sido assim desde a campanha e continua. Grande parte da comunidade de artistas não está nada contente com o Presidente eleito. Vários artistas aproveitaram o dia da tomada de posse para se reunirem em Nova Iorque e protestarem contra Donald Trump.

  • Artista que criou poster de Obama quer invadir EUA com símbolos de esperança

    Mundo

    Shepard Fairey - o artista por trás do tão conhecido cartaz vermelho e azul "Hope" de Barack Obama, durante a campanha eleitoral de 2008 nos EUA - produziu uma série de novas imagens a tempo da tomada de posse de Donald Trump, na sexta-feira. Agora, o artista e a sua equipa querem manifestar uma posição política com a campanha "We The People", contra as ideias que o Presidente eleito tem defendido.

  • Cantora brasileira conhecida pela "Lambada" terá sido assassinada
    1:25

    Mundo

    Terá sido assassinada a cantora brasileira conhecida em Portugal pela "lambada", um ritmo que marcou o fim dos anos 90. Foi encontrada carbonizada dentro do próprio carro depois de assaltada em casa. Três suspeitos suspeitos do homicídio da cantora Loalwa Braz foram já detidos.