sicnot

Perfil

Desporto

HRW pede à FIFA que pare jogos nos colonatos israelitas na Cisjordânia

A organização de defesa dos direitos humanos Human Rights Watch (HRW) pediu hoje à FIFA o fim da realização de jogos de futebol nos colonatos israelitas na Cisjordânia, em que os palestinianos são excluídos.

"A FIFA está a patrocinar jogos em colonatos israelitas na Cisjordânia, em territórios ilegalmente retirados aos palestinianos", concluiu uma investigação da organização não-governamental (ONG).

Num comunicado, a HRW afirma que os colonatos judeus representam uma violação dos direitos humanos e pede à Federação Internacional de Futebol (FIFA) que pressione a sua afiliada, a Associação de Futebol de Israel, para deslocar para Israel "todos os jogos e atividades" que apoia.

Em causa estão seis clubes israelitas que funcionam nos colonatos na Cisjordânia - ocupada por Israel há 50 anos - e onde é interdita a entrada da população palestiniana.

"Ao realizar jogos em terras roubadas, a FIFA está a manchar a bela modalidade do futebol", considera Sari Bashi, o diretor da HRW para Israel e a Palestina.

O responsável recorda, na nota, que a FIFA tem uma nova liderança e fez, este ano, "novos compromissos em relação aos direitos humanos" e "realizar atividades nos colonatos é incompatível" com estes compromissos.

"A FIFA deve tomar a iniciativa de mostrar um cartão vermelho aos clubes dos colonatos e insistir para que a Associação de Futebol de Israel jogue de acordo com as regras", defende o responsável.

Os clubes oferecem serviços aos israelitas, mas os cerca de 2,5 milhões de palestinianos da Cisjordânia -- à exceção de trabalhadores com autorizações especiais -- não podem entrar nos colonatos e, assim, são impedidos de participar, integrar as equipas ou mesmo assistir aos jogos como espetadores.

A FIFA, apesar de ser uma organização sem fins lucrativos, "está envolvida em atividades comerciais substanciais" no âmbito da indústria do futebol profissional, que gera receitas de 33 mil milhões de dólares por ano.

A organização refere no comunicado que "os colonatos são ilegais à luz da lei humanitária internacional, porque a transferência da população civil do poder ocupador no território ocupado viola a quarta Convenção de Genebra e é um crime de guerra", acrescentando que os colonatos são construídos em terras retiradas aos palestinianos.

Lusa

  • Sismo abala centro de Itália

    Mundo

    Um sismo abalou esta manhã o centro de Itália, incluindo a capital, Roma, e outras localidades atingidas por uma série de tremores o ano passado.

    Em desenvolvimento

  • Bebé nasce na Ucrânia com ADN de três pais

    Mundo

    Nasceu a 5 de janeiro, na Ucrânia, uma menina filha de um casal infértil graças à ajuda de uma nova técnica de fertilização in vitro, que conta com a colaboração de uma terceira pessoa. De acordo com o britânico The Times, os médicos utilizaram pela primeira vez um método denominado transferência pronuclear. Esta não é, contudo, a primeira vez que nasce um bebé com ADN de três progenitores.

  • Acordo de concertação social assinado por todos os parceiros

    Economia

    Está assinado o acordo da Concertação Social que estipula a descida da TSU para as empresas como contrapartida do aumento do salário mínimo. Ao contrário do que é habitual, o momento não foi assinalado na sede do Conselho Económico e Social (CES), mas as assinaturas foram divulgadas no Twitter.

  • Oposição diz que défice abaixo dos 2,3% se deve ao aumento de impostos
    2:24

    Economia

    O défice de 2016 vai ficar abaixo dos 2,3%, uma garantia dada pelo primeiro-ministro durante o debate quinzenal desta terça-feira. A oposição diz que o resultado é bom para o país mas que se deve a um aumento de impostos, feito pelo Governo no ano passado, e ao trabalho do PSD e do CDS nos anos anteriores.

  • CIA desvenda segredos de quase 50 anos de História

    Mundo

    A CIA publicou online quase 12 milhões de documentos confidenciais. Basta uma ligação à Internet para navegar por entre 50 anos de relatórios outrora secretos. Entre os milhões de páginas, estão documentos sobre um eventual assassínio de Fidel Castro, detalhes sobre os crimes de guerra nazis, relatórios sobre avistamentos de OVNI e um estudo sobre telepatia denominado "Projeto Star Gate".