sicnot

Perfil

Desporto

Paul Pierce termina carreira no final da próxima temporada da NBA

John Raoux

O extremo dos Los Angeles Clippers Paul Pierce anunciou esta segunda-feira que vai terminar a carreira no final da próxima temporada, depois de quase duas décadas a atuar na Liga norte-americana de basquetebol (NBA).

O jogador, que festeja o seu 39.º aniversário no próximo mês, prepara-se para cumprir a 19.ª época na NBA, a segunda nos Clippers, numa carreira em que se destaca a conquista do título em 2008, na altura ao serviço dos Boston Celtics.

"É desta. É a minha última temporada. Está na altura de me afastar do basquetebol. É uma decisão difícil, mas o mais importante é estar em paz comigo próprio. Ainda tenho mais uma temporada e mais uma oportunidade para voltar a ser campeão", afirmou Paul Pierce aos jornalistas.

Depois de ter dado nas vistas na Universidade de Kansas, Pierce chegou à NBA em 1998, tendo sido recrutado pelos Boston Celtics, emblema que representou durante 15 épocas, até 2014.

Com Ray Allen e Kevin Garnett, o extremo formou o chamado "big three" que venceu o campeonato em 2008 e foi mesmo considerado o melhor jogador da final (MVP) frente aos Los Angeles Lakers.

Antes que ingressar nos Clippers, Pierce chegou a vestir as camisolas dos Brooklyn Nets e dos Washington Wizards.

O jogador de 38 anos, que é o segundo melhor marcador da história dos Celtics, foi 10 vezes escolhido para o jogo All-Star.

Lusa

  • Brinquedos tecnológicos para oferecer no Natal
    5:33
  • Aniversário de Marcelo passado nas comemorações dos 700 anos da Marinha
    1:45

    País

    O Presidente da República defende que é preciso continuar a investir na Armada, nas pessoas, nas capacidades e no apoio de retaguarda. No dia em que fez 69 anos, Marcelo Rebelo de Sousa esteve nas comemorações dos 700 da Marinha, onde sublinhou os sete séculos de conquistas e de combates navais.

  • Costa anuncia reunião sobre neutralidade carbónica em fevereiro
    2:03

    País

    O Presidente francês defende que é preciso ir mais longe e mais rápido na luta contra as alteração climáticas, numa resposta à decisão de Donald Trump de retirar os EUA do Acordo de Paris. Em fevereiro, será a vez de Portugal organizar uma reunião sobre energia e transportes.