sicnot

Perfil

Desporto

Presidente da federação francesa diz que Benzema volta a ser selecionável

O presidente da Federação Francesa de Futebol (FFF), Noël Le Graët, assegurou, numa entrevista publicada esta quinta-feira no jornal Le Figaro, que Karim Benzema, afastado da seleção devido a um alegado caso de chantagem sexual a Mathieu Valbuena, é selecionável.

"Horroriza-me castigar alguém eternamente. O caso segue o seu curso e, pessoalmente, acho que já está a demorar demasiado tempo", defendeu Noël Le Graët, que em março tinha afastado o avançado do Real Madrid em nome da harmonia da seleção.

Karim Benzema, que falhou o Euro2016 realizado em França e no qual Portugal se sagrou campeão, viu o seu nome envolvido como cúmplice num caso de alegada chantagem ao seu colega de seleção Mathieu Valbuena, envolvendo um vídeo de cariz sexual.

Noël Le Graët, que apoiou sempre o avançado gaulês e manifestou várias vezes o seu desagrado pela lentidão do processo judicial, tomou a decisão de afastar o jogador para não prejudicar o equilíbrio da seleção anfitriã do Euro2016.

"Agrada-nos bastante como futebolista e com a seleção nunca nos criou problemas. Didier (Deschamps) sempre o defendeu, inclusive quando não marcava golos. Começou bem a época e vamos ver", disse ainda o presidente da federação gaulesa.

Le Graët não afastou a ideia de Zinedine Zidane, presentemente ao serviço do Real Madrid, se converter um dia selecionador francês, mas reforçou que, por agora, Didier Deschamps tem contrato até ao Mundial2018.

"Ele (Zidane) está a fazer um bom trabalho no Real Madrid e eu estou muito contente por ele. Revela qualidade e sabe do jogo. Um dia pode chegar a ser selecionador", disse Le Graët, de 75 anos, que indicou ainda a possibilidade de Didier Deschamps o suceder no cargo de presidente da FFF.

  • Um retrato devastador do "pior dia do ano"
    2:47
  • Um olhar sobre a tragédia através das redes sociais
    3:22
  • "Estão a gozar com os portugueses, esta abordagem tem de mudar"
    6:45

    Opinião

    José Gomes Ferreira acusa as autoridades e o poder político de continuarem a abordar o problema da origem dos fogos de uma forma que considera errada. Em entrevista, no Primeiro Jornal, o diretor adjunto da SIC, considera que a causa dos fogos "é alguém querer que a floresta arda". José Gomes Ferreira sublinha que não se aprendeu com os erros e que "estão a gozar com os portugueses".

    José Gomes Ferreira

  • "Os portugueses dispensam um chefe de Governo que lhes diz que isto vai acontecer outra vez"
    6:32

    Opinião

    Perante o cenário provocado pelos incêndios, os portugueses querem um chefe de Governo que lhes diga como é que uma tragédia não volta a repetir-se e não, como disse António Costa, que não tem uma fórmula mágica para resolver o problemas dos fogos florestais. A afirmação é de Bernardo Ferrão, da SIC, que questiona ainda a autoridade da ministra da Administração Interna para ir a um centro de operações, uma vez que é contestada por toda a gente.

  • Portugal precisa de "resultados em contra-relógio, após décadas de desordenamento florestal"
    1:18
  • Jornalista que denunciou corrupção do Governo de Malta morre em explosão

    Mundo

    A jornalista Daphne Caruana Galizia, que acusou o Governo de Malta de corrupção, morreu esta segunda-feira, numa explosão de carro. O ataque acontece duas semanas depois de a jornalista maltesa recorrer à polícia, para dizer que estava a receber ameaças de morte. A morte acontece quatro meses após a vitória do Partido Trabalhista de Joseph Muscat, nas eleições antecipadas pelo primeiro-ministro, após as alegações da jornalista, que o ligavam a si e à sua mulher ao escândalo dos Panama Papers. O casal negou as acusações de que teriam usado uma offshore para esconder pagamentos do Governo do Azerbaijão.