sicnot

Perfil

Desporto

Maradona e Verón desentenderam-se no "jogo pela paz"

Os argentinos Diego Maradona e Juan Sebastián Verón desentenderam-se antes do intervalo do jogo pela paz que se disputou na quarta-feira em Roma, reavivando uma polémica que começou no Mundial de futebol de 2010.

Apesar de ter apelado à paz mundial antes do pontapé inicial do encontro, que decorreu na quarta-feira à noite no Estádio Olímpico de Roma, Maradona não levou à letra a sua recomendação, protagonizando uma altercação com Verón na ida para os balneários.

Nas imagens do é possível ver como El Pibe se aproxima a sorrir do seu compatriota, com a tensão a aumentar gradualmente, através de gestos e expressões exaltadas.

O episódio reacendeu uma polémica que teve início no Mundial da África do Sul: o antigo médio não perdoou que Maradona, então selecionador da Argentina, o tivesse deixado no banco nos oitavos de final e, sobretudo, nos quartos de final, quando a 'albiceleste' foi eliminada pela Alemanha, com uma derrota por 4-0.

Desde então, os dois ex-futebolistas não voltaram a ter uma boa relação e, inclusive, protagonizaram novo desentendimento depois da demissão de Gerardo Tata Martino como selecionador da Argentina.

Verón, que atualmente é presidente do Estudiantes, foi nomeado pela federação nacional para dar a sua opinião na escolha do novo técnico, o que não agradou a Maradona, que colocou em causa as competências do ex-médio.

Lusa

  • Economia portuguesa a crescer
    2:26
  • Os likes dos candidatos às autárquicas no Facebook
    4:00

    Autárquicas 2017

    Se há mais de 5 milhões de portugueses no Facebook, é natural que as autárquicas também passem pela rede social mais usada no país e no mundo. A SIC apresenta-lhe os 10 candidatos cujas páginas têm mais seguidores e, para a comparação ser mais justa, os que têm mais seguidores em Portugal - porque há também quem estranhamente tenha milhares de fãs em países como Egito, Filipinas ou Vietname.

  • Viver em Évora
    5:11
  • Ano letivo "de uma maneira geral começou bem"

    País

    O Presidente da República considerou esta sexta-feira que o ano letivo "de uma maneira geral começou bem" e defendeu a possibilidade serem feitas "correções" a situações "injustas ou discutíveis" entre os concursos que se realizam de quatro em quatro anos.