sicnot

Perfil

Desporto

Comité Olímpico Internacional abre processos disciplinares a 28 atletas russos

© Bruno Kelly / Reuters

O Comité Olímpico Internacional (COI) revelou que foram abertos processos disciplinares a 28 atletas russos suspeitos de recurso ao "doping" nos Jogos Olímpicos de inverno de Sochi, na Rússia.

O COI diz que as medidas foram tomadas na sequência das provas produzidas pelo investigador Richard McLaren, a pedido da Agência Mundial antidopagem (AMA).

No seu relatório, McLaren acusa o estado russo de ter "patrocinado" o consumo de "doping", recorrendo aos seus serviços de inteligência para organizar a troca de amostras de análises durantes os Jogos em Sochi.

O COI abriu os processos disciplinares a 28 atletas, em relação aos quais à evidência de manipulação de uma ou mais amostras de urina, que foram coletadas durante os Jogos Olímpicos de inverno Sochi2014", refere o comunicado do organismo olímpico.

McLaren entende que 28 de 95 das amostras estudadas pela sua equipa têm sinais de manipulação.

As 28 amostras serão reanalisadas pelo laboratório antidopagem de Lausana, com o COI a sublinhar que os casos não são ainda de doping, mas que a manipulação por si só pode conduzir a sanções.

Já tinham sido sancionados pelo COI 27 atletas russos, em resultado da reanálise de amostras referentes aos Jogos Olímpicos de Pequim2008 e Londres2012.

O governo russo tem negado qualquer envolvimento estatal no recurso ao "doping", mas o antigo ministro do Desporto e atual vice-primeiro ministro, Vitali Mutko, foi banido dos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, face a esta controvérsia.

Lusa

  • Frio no fim de semana, regiões do interior podem chegar aos -5 °C
    1:23

    País

    A Proteção Civil emitiu um alerta para o tempo frio e seco e pede cuidados redobrados. As temperaturas já começaram a descer, com regiões a registarem valores negativos. No interior, podem chegar aos 5 graus negativos. Até ao Natal o tempo vai manter-se frio, seco e com ausência de chuva.

  • Bombeiro ferido nos fogos de Pedrógão Grande regressou a casa
    2:33

    Tragédia em Pedrógão Grande

    Seis meses depois dos incêndios de Pedrógão Grande, regressou a casa o último dos bombeiros de Castanheira de Pera que estava internado desde junho. Rui Rosinha esteve em coma mais de dois meses e tem ainda pela frente uma longa recuperação. O bombeiro não quer que o país esqueça o que aconteceu e espera que as duas tragédias deste ano (fogos de junho e outubro) sirvam de lição para o futuro.

  • PS volta a subir nas intenções de voto e não baixa dos 40%
    2:01
  • Marcelo evita "ideia de que o ano foi todo muito bom"
    3:14

    País

    Marcelo Rebelo de Sousa disse esta sexta-feira que 2017 teve "o melhor e o pior" e que "é preciso evitar a "ideia que o ano foi todo muito bom". O Presidente da República fez estas declarações depois de António Costa ter dito que a nível económico este "foi um ano particularmente saboroso".