sicnot

Perfil

Desporto

Vencedor do Dakar 2010 abandona prova depois de acidente

Reuters

© Eric Gaillard / Reuters

O espanhol Carlos Sainz, vencedor em 2010, desistiu do rali de todo-o-terreno Dakar, depois de um acidente na quarta etapa ter danificado o seu Peugeot, anunciou esta sexta-feira a sua equipa.

O espanhol, que era um dos candidatos ao triunfo final, caiu numa ravina a cerca de cinco quilómetros da meta da tirada, que ligou San Salvador de Jujuy (Argentina) e Tupiza (Bolívia), e ainda regressou ao "bivouac", mas a equipa não teve tempo para recuperar o carro para o arranque da etapa de hoje.

"Estou obviamente desiludido com este abandono. Nós estávamos com um ritmo muito bom depois do início do rali", lamentou Sainz, campeão do mundo de ralis em 1990 e 1992.

Carlos Sainz, que ocupava a terceira posição, é o segundo candidato ao triunfo final a ser obrigado a abandonar, depois de Nasser Al-Attiyah (Toyota), do Qatar.

Lusa

  • Divorciados vão poder dividir filhos no IRS 

    Economia

    Os divorciados vão passar a poder dividir os filhos no IRS (imposto sobre o rendimento singular) e o Governo está a estudar soluções para que em 2018 haja um novo sistema para lidar com a guarda conjunta de filhos.

  • "Os governos são diferentes mas o povo é o mesmo"
    0:45

    Economia

    O Presidente da República atribui o resultado do défice do ano passado ao espírito de sacrifício do povo português. Num jantar em Coimbra para assinalar o Dia do Estudante, Marcelo Rebelo de Sousa considerou ainda que o valor do défice de 2016 é a prova de que com governos diferentes conseguem-se os mesmos objetivos.

  • Recuo na saúde é primeira derrota de peso para Donald Trump
    1:18

    Mundo

    O Presidente norte-americano sofreu esta sexta-feira uma derrota de peso. O líder da Câmara dos Representantes retirou a proposta do plano de saúde de Trump, que se preparava para um chumbo na câmara baixa do Congresso. Para já, mantém-se o Obamacare.

  • Pai do piloto da Germanwings defende inocência do filho

    Mundo

    O pai de Andreas Lubitz declarou esta sexta-feira que o filho não é o responsável pelo embate do avião da Germanwings contra um local montanhoso, que fez 150 mortos. O Ministério Público alemão concluiu em janeiro que o incidente em 2015 foi apenas da responsabilidade do piloto.