sicnot

Perfil

Desporto

Maradona e Puyol apoiam alargamento do número de seleções no Mundial de futebol

© Arnd Wiegmann / Reuters

Diego Maradona e Carles Puyol, antigos capitães das seleções argentina e espanhola, respetivamente, apoiaram esta segunda-feira a proposta de alargar o número de 32 para 48 seleções na fase final no Mundial de futebol, a partir de 2026.

"Parece-me fantástico", afirmou Maradona ao ser questionado sobre o que pensava da dita proposta, que será debatida na terça-feira pelo Cnselho da FIFA.

O "astro" argentino encontra-se em Zurique a participar na cerimónia "The Best", que irá eleger hoje os melhores entre os melhores do mundo de futebol e fez parte do encontro amigável que juntou outras lendas e dirigentes da entidade que rege o futebol mundial.

Maradona explicou à imprensa o seu apoio ao alargamento do número de seleções. "Parece-me ótimo, porque irão dar-se mais oportunidades e esperança a equipas e países que nunca participaram numa competição tão linda", explicou o antigo avançado.

O ex-jogador do FC Barcelona não considera que a qualidade do Mundial vá diminuir com este alargamento. "Quanto mais equipas melhor, assim mais gente vem para os campos de futebol", acrescentou.

Esta é uma opinião que é partilhada por Puyol, que também definiu a proposta como "fantástica". "Um Mundial é a festa do futebol e quantas mais seleções possam participar melhor, quanto mais adeptos possam disfrutar melhor", assinalou Puyol, que também jogou na partida amigável.

A segunda reunião do Conselho, órgão que substituiu o Comité Executivo, irá analisar na terça-feira as quatro propostas que recebeu sobre o formato do Mundial do futebol de 2026, que passam por continuar com o modelo atual de 32 seleções ou por alargar para 40 ou 48 equipas.

O aumento do número de seleções é, na opinião do presidente da FIFA, Gianni Infantino, algo que "toda a gente quer" e que "não subtrai qualidade" à competição.

Lusa

  • Ministro "mais descansado" com relatório sobre Almaraz, ambientalistas contestam
    2:01

    País

    O ministro do Ambiente diz estar mais descansado depois de conhecer o relatório técnico que considera o armazém de resíduos nucleares em Almaraz uma solução adequada. Já as associações ambientalistas e os partidos criticam o parecer positivo à construção e querem ouvir os ministros do Ambiente e dos Negócios Estrangeiros no Parlamento.

  • Marcelo recebido por multidão na Ovibeja
    2:52
  • Líderes europeus unidos para iniciar saída do Reino Unido
    2:08
  • 100 dias de Trump em 04'30''
    4:33

    Pequenas grandes histórias

    Donald Trump tomou posse como 45º Presidente dos EUA dia 20 de janeiro de 2017, faz este sábado, 100 dias. Prometeu grandes mudanças, mas os planos acabaram por chocar de frente com a realidade e a burocracia de Washington, como foi o caso do Obamacare. Foi a primeira ordem executiva que assinou, no dia em que tomou posse, mas a revogação está longe de acontecer.