sicnot

Perfil

Desporto

FIFA diz que alargamento permite que mais países sonhem com o Mundial

Michael Probst/ AP

O presidente da FIFA Gianni Infantino considerou esta terça-feira que a decisão do Conselho do organismo em alargar o Mundial de futebol para 48 seleções, a partir de 2026, permitirá a um maior número de países "sonhar" com o apuramento.

"Temos que moldar o Campeonato do Mundo ao século XXI, o futebol é mais do que a Europa e a América do Sul", sustentou Gianni Infantino, defendendo que "um maior número de países terá a hipótese de sonhar".

Esta terça-feira, o Conselho da FIFA, reunido em Zurique, decidiu que a edição de 2026 terá 16 grupos de três equipas e que se realizará no mesmo período de tempo atualmente dedicado ao formato de 32 seleções.

Infantino defendeu ser uma solução vital, mas recusa a ideia de que um Mundial alargado dure mais tempo do que o que vigora agora.

Segundo o responsável máximo do futebol mundial, esta solução "traz benefícios sem aspetos negativos" e "cada jogo será decisivo", em alusão ao facto de cada um dos grupos ter três seleções.

Nenhuma decisão foi tomada em relação às 16 vagas suplementares , nomeadamente em relação à sua distribuição por Confederações, mas Infantino explicou que todos "terão mais".

Lusa

  • Os números das eleições francesas
    0:50

    Eleições França 2017

    Os resultados definitivos mostram que Emmanuel Macron obteve 24% dos votos, na primeira volta das eleições francesas. Ficou quase três pontos à frente de Marine Le Pen, que conseguiu 21,3%. Os números oficiais, publicados pelo Ministério do Interior, dão ainda conta da taxa de abstenção: 22,2%, um ligeiro aumento face à primeira volta das presidenciais de 2012.

  • ASAE encerra em média um restaurante por dia
    1:33
  • Grupo de brasileiros em assalto milionário no Paraguai
    1:24