sicnot

Perfil

Desporto

FIFA diz que alargamento permite que mais países sonhem com o Mundial

Michael Probst/ AP

O presidente da FIFA Gianni Infantino considerou esta terça-feira que a decisão do Conselho do organismo em alargar o Mundial de futebol para 48 seleções, a partir de 2026, permitirá a um maior número de países "sonhar" com o apuramento.

"Temos que moldar o Campeonato do Mundo ao século XXI, o futebol é mais do que a Europa e a América do Sul", sustentou Gianni Infantino, defendendo que "um maior número de países terá a hipótese de sonhar".

Esta terça-feira, o Conselho da FIFA, reunido em Zurique, decidiu que a edição de 2026 terá 16 grupos de três equipas e que se realizará no mesmo período de tempo atualmente dedicado ao formato de 32 seleções.

Infantino defendeu ser uma solução vital, mas recusa a ideia de que um Mundial alargado dure mais tempo do que o que vigora agora.

Segundo o responsável máximo do futebol mundial, esta solução "traz benefícios sem aspetos negativos" e "cada jogo será decisivo", em alusão ao facto de cada um dos grupos ter três seleções.

Nenhuma decisão foi tomada em relação às 16 vagas suplementares , nomeadamente em relação à sua distribuição por Confederações, mas Infantino explicou que todos "terão mais".

Lusa

  • Vala comum com 6 mil corpos em Mossul
    1:43
  • À redescoberta da Madeira, 16 anos depois
    1:59
  • A menina que os pais queriam chamar "Allah"

    Mundo

    ZalyKha Graceful Lorraina Allah tem 22 meses, anda não sabe ler nem escrever mas já está no centro de um processo judicial contra o Estado da Georgia, nos EUA. Os pais, Elizabeth Handy e Bilal Walk, apoiados por uma ONG, exigem na justiça que o nome seja reconhecido na certidão de nascimento para que a criança possa ser inscrita na escola, na segurança social ou nos registos e notoriado. O casal já tem um filho de 3 anos que se chama Masterful Mosirah Aly Allah.

  • Samsung vai vender modelos reparados do Galaxy Note 7

    Economia

    A Samsung Electronics anunciou hoje que vai vender e alugar telemóveis reparados do modelo Galaxy Note 7 depois de no ano passado a empresa ter decidido suspender a respetiva produção devido a incêndios nas baterrias de íon-lítio.

  • Acidentes em falésias matam 94 pescadores lúdicos

    País

    Mais de 90 pescadores lúdicos morreram nos últimos 19 anos e 137 ficaram feridos em 252 acidentes registados em zona rochosa ou em falésia, a maioria na zona de Lagos, Faro, segundo dados da Autoridade Marítima Nacional.