sicnot

Perfil

Desporto

Infantino diz que alargamento do Mundial é questão desportiva e não económica

© Arnd Wiegmann / Reuters

O presidente da FIFA, Gianni Infantino, reiterou esta quarta-feira que o alargamento do Mundial de futebol de 32 para 48 seleções, a partir de 2026, "é uma decisão futebolística e não económica".

"Não é uma decisão económica, antes pelo contrário, é uma decisão puramente futebolística. Todos os formatos têm vantagens do ponto de vista financeiro, mas estamos numa situação cómoda para tomar uma decisão baseada em questões desportivas", afirmou Infantino, em entrevista à BBC.

Infantino referiu ainda que a decisão tomada na terça-feira pelo Conselho da FIFA, por unanimidade, "é uma mudança histórica", que levará o futebol "em pleno ao século XXI".

A partir de 2026, a competição vai contar com 16 grupos, de três equipas cada, com as duas primeiras a classificarem-se para a fase seguinte, entrando então num sistema de eliminatórias a partir dos 16 avos de final.

Com este novo formato, o Mundial passará dos atuais 64 jogos para 80, mas continuará a disputar-se durante 32 dias, como sucede atualmente.

Segundo a FIFA, entre os principais objetivos da decisão de aumentar o número de espetadores em várias regiões do mundo, nomeadamente em países que até agora não tem conseguido qualificar-se para a fase final da competição.

Lusa

  • Leão de Ouro de Souto de Moura faz "muito bem à alma" dos portugueses
    1:53
  • "Sonho com um futuro melhor", o desejo de um jovem sírio em Portugal
    2:12

    País

    Mais de 50 jovens sírios chegaram esta madrugada a Lisboa, para iniciarem o novo ano letivo, em Portugal. Sonham com um futuro melhor. Sonham com uma educação melhor. Os 54 estudantes vieram ao abrigo do programa lançado pelo antigo Presidente da República, Jorge Sampaio, que nos últimos anos já deu uma nova oportunidade a cerca de 200 alunos.

  • Na linha do triunfo
    16:49
  • Chamas do incêndio no Europa Park na Alemanha atingiram os 15 metros de altura
    0:57