sicnot

Perfil

Desporto

Presidente da República felicita e enaltece recorde mundial de Inês Henriques

© Damir Sagolj / Reuters

O Presidente da República enalteceu esta terça-feira o feito da atleta Inês Henriques, que no domingo estabeleceu o recorde do mundo de 50 quilómetros marcha, que "coloca a Bandeira Nacional no topo de mais uma tabela".

Numa nota publicada no sítio da Presidência, Marcelo Rebelo de Sousa considera que o recorde mundial de Inês Henriques, que fixou a marca em 4:08.25 horas, durante os Nacionais de estrada, em Porto de Mós, "muito orgulha todos os seus compatriotas".

A melhor marca mundial nos 50 km marcha registada anteriormente datava de 2007 e pertencia à sueca Monica Svensson, com 4:10.59 horas, mas não era reconhecida como recorde, uma vez que a distância não era oficial no setor feminino.

A atleta do Clube de Natação de Rio Maior, atual campeã nacional dos 20 km marcha, foi assim a vencedora do primeiro Nacional de 50 km para mulheres, depois de ter sido também a mais rápida na passagem aos 35 km, com 2:50.09 horas.

Lusa

  • Porque é que Melania e Ivanka vestiram preto para conhecer o Papa

    Mundo

    Melania e Ivanka chegaram ao Vaticano de preto, uma escolha muito questionada. De vestidos longos e véus, as mulheres Trump seguiram assim o dress code aconselhado nas audiências com o Papa. Também Michelle Obama usou uma vestimenta do género, em 2009, quando visitou Bento XVI.

  • Escola de Vagos castiga alunos por protesto contra a homofobia e preconceito

    País

    Os alunos da Escola Secundária de Vagos, no distrito de Aveiro, organizaram um protesto contra o que consideram homofobia e preconceito. Segunda-feira, depois de duas alunas se terem beijado foram chamadas à direção da escola, que as terá informado que não podiam beijar-se em público. O protesto foi gravado e partilhado nas redes sociais. Em declarações à SIC Notícias, um dos alunos disse que todos os envolvidos no protesto vão ser alvos de um processo disciplinar. O Bloco de Esquerda já pediu esclarecimentos ao Ministério da Educação.

    EXCLUSIVO

    Rita Pedras