sicnot

Perfil

Desporto

Di Maria quer ficar no Paris Saint-Germain "durante todo o contrato"

© Stephane Mahe / Reuters

O futebolista argentino Di Maria assegurou que prefere ficar no Paris Saint-Germain, "ao longo de todo o contrato", do que ir para a China, declarou à televisão ESPN Argentina na quinta-feira.

"Tem havido rumores, mas eu e a minha família estamos muito bem aqui, o que é importante para mim, por isso, vou ficar aqui durante todo o meu contrato", assegurou o internacional argentino.

O jogador percebe que as elevadas quantias de dinheiro oferecidas pelos clubes chineses podem persuadir os colegas, mas garante que não pensa jogar na China. "Eu prefiro ficar aqui, ser feliz e alcançar o que sempre tenho dito: vim para Paris para vencer a Liga dos Campeões", disse o antigo jogador do Benfica.

A titularidade do médio argentino pode estar a ser reconsiderada depois da chegada do médio alemão Julian Draxler. Julian Draxler, de 23 anos, marcou o golo da vitória do PSG contra o Rennes, no sábado, na 20.ª jornada da liga francesa, enquanto o argentino só entrou em campo nos últimos quinze minutos.

Lusa

  • Di María e Pastore implicados no escândalo de evasão fiscal
    2:00

    Football Leaks

    Os jogadores Di María e Javier Pastore também estão na lista do Football Leaks. Os documentos divulgados pelo consórcio europeu de investigação garantem que Di María desvia rendimentos com direitos de imagem. Já Pastore terá escondido quase dois milhões de euros pagos pela Nike por uma empresa offshore, no Uruguai.

  • Draxler é o primeiro reforço de inverno do PSG
    0:36

    Desporto

    O avançado alemão de 23 anos deixa o Wolfsburgo e junta-se ao campeão francês por uma verba a rondar os 36 milhões de euros, valor que poderá aumentar em 6 milhões caso o jogador cumpra determinados objetivos. Draxler estava afastado dos treinos do Wolfsburgo por ter demonstrado descontentamento e a sua intenção de sair do clube.

  • Veio para Portugal para estar mais perto da natureza mas o fogo levou-lhe tudo
    4:59
  • Não me parece o melhor princípio político, mas percebo que António Costa queira ter junto de si, sobretudo em tempos difíceis, os mais próximos. Os homens de confiança pessoal e política. Em plena tempestade, o primeiro-ministro chamou dois amigos de longa data, ex-colegas da Faculdade de Direito, Eduardo Cabrita e Pedro Siza Vieira. E eles não disseram que não.

    Bernardo Ferrão