sicnot

Perfil

Desporto

Guardiola diz que se calhar não é suficientemente bom para o Manchester City

© Reuters Staff / Reuters

O treinador do Manchester City, Pep Guardiola, defendeu esta sexta-feira os seus jogadores "fantásticos" e admitiu que talvez não seja bom o suficiente para o clube da Liga inglesa de futebol."

."Talvez não seja bom o suficiente para eles", afirmou Guardiola, quando questionado sobre a falta de consistência da equipa nos últimos encontros, depois de ter vencido os 10 primeiros jogos da temporada.Os últimos resultados dos 'citizens', que caíram para o quinto lugar, a 10 pontos do líder Chelsea, levantaram algumas dúvidas sobre a qualidade do plantel do clube.

"Eles são bons jogadores. Eu tenho respeito por eles, por isso porque é que haveria dizer que não são bons? Por isso, não percebo a falta de respeito pelos profissionais quando eles têm sido jogadores fantásticos e que não são suficientemente bons para mim", disse o espanhol.

Um dos jogadores mais criticados tem sido o guarda-redes Claudio Bravo, uma escolha de Guardiola, que dispensou o inglês Joe Hart, que tinha sido titular nas últimas temporadas, mas o treinador diz que nunca atribuirá culpas pelas derrotas ao chileno.

Lusa

  • Mais de 50 detidos pela GNR em 12 horas

    País

    A GNR fez 51 detenções entre as 20:00 de sábado e as 08:00 de hoje, 39 das quais por condução sob efeito do álcool ou sem carta, e três por violência doméstica, segundo um comunicado hoje divulgado.

  • "Um Lugar ao Sol"
    17:05
    Perdidos e Achados

    Perdidos e Achados

    SÁBADO NO JORNAL DA NOITE

    O Perdidos e Achados foi conhecer como eram as férias de outros tempos. Quando o Estado Novo controlava o lazer dos trabalhadores e criava a ilusão de um país exemplar. Na Costa de Caparica, onde é hoje o complexo do INATEL estava instalada a maior colónia de férias do país, chamava-se "Um Lugar ao Sol".

  • Monumentos de 7 mil cidades às escuras por 1 hora
    2:51
  • Trump diz que Obamacare vai "colapsar"

    Mundo

    O Presidente norte-americano tentou desvalorizar a derrota política sofrida na sexta-feira no Congresso, ao desistir da revogação da lei de saúde pública do seu antecessor, conhecida como Obamacare, afirmando que esta vai colapsar por si mesma.