sicnot

Perfil

Desporto

Guarda-redes da Chapecoense relata com emoção os momentos após o acidente

© Paulo Whitaker / Reuters

O futebolista da Chapecoense Jackson Follmann, um dos sobreviventes do acidente aéreo que vitimou quase toda a equipa do clube brasileiro, relatou os momentos que se seguiram ao acidente e garantiu que quer voltar a ter uma vida normal.

Em entrevista à cadeia televisiva Globo, o guarda-redes explicou que logo após a queda do avião na Colômbia, perto de Medellín, a 28 de novembro, gritou: "Não quero morrer".

Segundo Follmann, todas as luzes do avião da companhia boliviana Lamia, que transportava a equipa da Chapecoense para a primeira mão da final da Taça Sul-americana com os colombianos do Atlético Nacional, "se apagaram", e logo depois "o avião começou a flutuar lentamente".

"Foi tudo muito rápido. Abri os olhos, estava muito escuro e muito frio. Tiritava de frio e gritava: "Socorro, não quero morrer". Alguns amigos, que também ainda estavam vivos também gritavam. Ouvi as equipas de resgate chegar e gritarem: Polícia Nacional", explicou o jogador, que depois terá perdido a consciência.

O guardião, que voltou a estar consciente quatro dias depois quando estava internado num hospital de Medellín, recordou de forma emocionada o momento em que recebeu a visita da mãe.

"A minha mãe entrou e falou comigo. Foi muito difícil. Ela chorava muito quando abri os olhos", afirmou o jogador, que na sequência do acidente ficou sem parte da perna direita.

Jackson Follmann garantiu que os seus planos a curto prazo passam por recuperar completamente do acidente e casar-se.

A 28 de novembro de 2016, a queda do avião da companhia boliviana Lamia perto de Medellín, na Colômbia, causou a morte a 71 das 77 pessoas que seguiam a bordo, incluindo a maioria dos jogadores da Chapecoense, dirigentes e jornalistas que acompanhavam a equipa de futebol brasileira.

No domingo, a Chapecoense voltou aos relvados com um empate a dois golos com o Palmeiras, depois de ter recrutado 22 novos jogadores.

Antes do jogo, Follmann e os outros dois jogadores que sobreviveram - Neto e Alan Ruschel - levantaram a Taça Sul-Americana, que a confederação sul-americana decidiu entregar à Chapecoense.

Lusa

  • Bruno de Carvalho e Octávio Machado suspensos

    Desporto

    O presidente do Sporting, Bruno de Carvalho, e o diretor-geral para o futebol, Octávio Machado, foram esta terça-feira suspensos pelo Conselho de Disciplina da Federação Portuguesa de Futebol, na sequência de uma queixa apresentada pelo Benfica em novembro de 2015.

  • Corredora exausta é levada ao colo até à meta na meia maratona do amor
    1:06

    Mundo

    Aconteceu este domingo em Filadélfia, EUA. A poucos metros da meta uma corredora exausta é amparada por dois colegas. Mas o cansaço é tanto que fica sem força nas pernas. É quando aparece a terceira ajuda. Um homem volta para trás e leva-a no colo até à meta. A centímetros do fim larga-a para que a corredora possa atravessar a meta pelo seu próprio pé.

    Patrícia Almeida

  • Kennedy acreditava que Hitler estava vivo

    Mundo

    Um diário de John F. Kennedy vai a leilão em Boston, nos Estados Unidos da América. O diário foi escrito durante a sua breve carreira como jornalista, depois da 2.ª Guerra Mundial. No livro, foram expostas algumas teorias do antigo Presidente norte-americano, como a possibilidade de Hitler estar vivo.

    Ana Rute Carvalho