sicnot

Perfil

Desporto

Portugal tem "boas hipóteses" de vencer a Taça das Confederações, diz Scolari

O avançado português já marcou a 32 seleções diferentes por Portugal.

© Rafael Marchante / Reuters

A seleção portuguesa de futebol disputa este ano a Taça das Confederações pela primeira vez, graças à vitória no Euro 2016, e Luiz Felipe Scolari vislumbra em Portugal as condições necessárias para ambicionar novo título internacional.

Em entrevista à Lusa, no encerramento de um estágio de cerca de duas semanas em solo nacional, o treinador dos chineses do Guangzhou Evergrande salienta que o triunfo no último Campeonato da Europa quebrou uma "maldição" que parecia inibir a "equipa das quinas" nas grandes competições.

"Portugal tem muito boas hipóteses (na Taça das Confederações). Portugal agora já está arrumado e aquela insegurança e aquele receio foram superados com a vitória no Europeu. Tenho a certeza de que o Fernando Santos vai formar uma seleção de boa qualidade", garante o antigo selecionador de Portugal, atualmente com 68 anos.

Fernando Santos viveu a alegria que Luiz Felipe Scolari esteve muito perto de saborear em 2004, quando este liderava a seleção derrotada pela Grécia na final desse Europeu. "Foi um feito muito grande do Fernando", reconhece o técnico brasileiro que, apesar dos elogios à seleção, admite também ter ficado "surpreso" com o triunfo de Portugal.

"Fiquei surpreso, claro, porque havia outras equipas com outro "know-how", outra fama, jogadores em melhores condições ou um futebol mais desenvolvido. Mas quem ganhou foi Portugal. E Portugal mostrou ser uma equipa organizada do princípio ao fim, mostrou ser a melhor", assumiu.

Entretanto, já se passaram mais de doze anos desde que Portugal perdeu em casa esse Europeu, mas Scolari mantém que não faria "nada diferente" e que a geração de 2004 "era excelente". "Considero aqueles jogadores fantásticos, mas temos de entrar em campo e fazer por merecer. Nós não fizemos e, então, não adianta reclamar", observa.

Em comum entre Fernando Santos e Luiz Felipe Scolari existe uma forte devoção religiosa. Se o atual selecionador nacional já assumiu por inúmeras vezes a sua fé católica, também ficou célebre a ligação do treinador brasileiro a Nossa Senhora do Caravaggio. Para Scolari, o futebol também pode ser uma questão de fé e esta ser um consolo para a solidão do treinador.

"O treinador é uma pessoa muito sozinha. Não tem muitos amigos. Embora se tente formar uma grande amizade num grupo de futebol, não somos todos bons amigos. E um técnico está sempre muito só. É importante para o técnico, que se sente mais amparado, mais tranquilo e mais confortado. E, aí, pode ser um pouco mais livre", confidencia.

Lusa

  • Passos explica porque se irritou com Costa
    0:42

    Economia

    Depois das imagens em que surgiu visivelmente irritado com António Costa, no último debate quinzenal, Passos Coelho veio agora explicar porquê. Na discussão com o primeiro-ministro, o líder do PSD não gostou que Costa tivesse insinuado que a fuga de 10 mil milhões de euros para offshores tenha ocorrido por inação do Governo anterior.

  • Ferro Rodrigues desvaloriza críticas do CDS
    3:24

    Caso CGD

    Marcelo Rebelo de Sousa fez questão de receber em público Ferro Rodrigues antes de um almoço com o presidente da Assembleia da República. O Presidente também recebeu a representante do CDS-PP, Assunção Cristas, que foi apresentar queixa de Ferro Rodrigues e da maioria de esqueda em relação à comissão de inquérito da Caixa Geral de Depósitos. Ferro Rodrigues desvalorizou as críticas.

  • Luaty Beirão agredido em manifestação em Luanda
    1:27

    Mundo

    Luanda tem sido palco de várias manifestações contra a forma como está a decorrer o processo eleitoral em Angola. Esta sexta-feira, uma dessas manifestações acabou em confrontos com as autoridades. Entre os manifestantes estava o ativista Luaty Beirão.

  • Regime de Pyongyang nega envolvimento na morte de Kim Jong-nam 
    1:53

    Mundo

    A polícia da Malásia diz que o irmão do líder da Coreia do Norte foi morto com uma arma química. Os investigadores encontraram vestígios de gás VX no corpo de Kim Jong-nam, um gás letal proibido pelas convenções internacionais. O Governo da Coreia do Sul pediu esta sexta-feira ao regime de Pyongyang que admita que está por detrás da morte de Kim Jong-nam mas o mesmo já veio negar o envolvimento no assassinato.