sicnot

Perfil

Desporto

Duarte Vale perde final de pares do Open da Austrália

O tenista português Duarte Vale, fazendo dupla com o neozelandês Finn Reynolds, perdeu esta sexta-feira a final de pares de juniores do Open da Austrália, primeiro torneio do Grand Slam do ano.

Duarte Vale, de 18 anos, e Finn Reynolds foram derrotados pelo par formado por Yu Hsiou Hsu, de Taiwan, e o chinês Lingxi Zhao, quarto cabeça de série, por 6-7 (8-10), 6-4 e 10-5, em hora e meia de encontro.

Esta foi a quarta final de Grand Slam da história do ténis português, todas em pares juniores, depois das três de Frederico Silva: duas ganhas com Kyle Edmund (US Open em 2012 e Roland Garros em 2013) e uma perdida ao lado Quentin Halys (US Open de 2013).

Apesar da derrota, este é o melhor resultado de Duarte Vale num torneio deste nível e poderá catapultá-lo para os 10 primeiros do 'ranking' de juniores, que combina os resultados de pares e singulares.

No quadro de singulares, em que era sexto pré-designado, Duarte Vale foi eliminado na quarta-feira, nos oitavos de final, pelo cipriota Menelaos Efstathiou, por 6-7 (2-7), 6-4, 6-4, depois de um longo encontro de duas horas e 31 minutos.

Lusa

  • Confirmados dois novos casos de legionella

    Legionella

    Dois novos casos de legionella foram esta quarta-feira confirmados. A informação foi avançada em comunicado pela Direção-Geral da Saúde. Tratam-se de duas pessoas com mais de 80 anos, internadas no Hospital São Francisco Xavier e no Egas Moniz, ambas em situação clínica estável.

  • Quem é o novo Presidente do Zimbabué?
    2:15

    Mundo

    Emmerson Mnangagwa é o sucessor de Robert Mugabe que regressou esta quarta-feira da África do Sul, onde estava refugiado. No primeiro discurso, o Presidente do Zimbabué falou de uma nova democracia no país. Mnangagwa, conhecido como crocodilo, é suspeito de atrocidades na guerra civil pós-independência. 

  • Diminuem as hipóteses de salvar os tripulantes a bordo do submarino argentino
    3:09

    Mundo

    As hipóteses de salvar os tripulantes a bordo do submarino argentino, desaparecido há 8 dias, começaram a diminuir, uma vez que o chamado "tempo de segurança" já foi ultrapassado. A Marinha portuguesa está a acompanhar o caso do submarino que está desaparecido há oito dias. As hipóteses de salvar os tripulantes vão diminuindo.

  • Comprar um carro em segunda mão sem ser enganado 
    8:44
  • O que aprendemos com secas anteriores?
    32:50