sicnot

Perfil

Desporto

Jackson diz que FC Porto já passou momentos piores

Jackson Martínez recordou esta quarta-feira os momentos vividos como futebolistas do FC Porto e disse que a equipa já passou por situações piores do que a atual, quando Vítor Pereira era treinador, e ainda assim sagrou-se campeã nacional.

O avançado colombiano, que atualmente no Guangzhou Evergrande, da China, contou ao Porto Canal que sente saudades do tempo passado ao serviço do FC Porto e enumerou alguns momentos marcantes que, na sua opinião, mostraram a união e a mística que sentiu no seio do grupo."Histórias há muitas, mas a que mais recordo foi a do tricampeonato.

Lembro-me bem da convicção que tinha o Vítor Pereira. Nós estávamos cinco pontos atrás do Benfica, e ele, numa altura em que faltavam mais ou menos dez jogos para o fim do campeonato, dizia sempre nas palestras: 'Nós vamos ser campeões'", começou por revelar o jogador numa visita que fez à cidade do Porto, onde esteve em tratamento a uma lesão.

Jackson Martinez admitiu que a postura do treinador foi decisiva para que o grupo se acreditasse na conquista do título, pela "certeza que transmitiu a cada um".

"Ele tinha essa certeza, mas era difícil. Ele mantinha a mesma convicção. A cada treino era como se estivéssemos só a um ponto. E foi muito importante quando o Benfica empatou com o Estoril em casa. A partir daí foi uma força muito grande. E também tenho lembranças daqueles tempos difíceis no FC Porto e de como o grupo se unia", recordou o avançado, falando de "anos muito gratificantes de muita aprendizagem e de muita evolução".

Jackson Martínez revelou ainda que o melhor golo que marcou de 'dragão' ao peito foi de calcanhar contra o Sporting e lembrou os colegas Lucho González, James Rodríguez e Otamendi.Sobre a passagem pelo Atlético de Madrid, clube para o qual se transferiu depois do FC Porto, o colombiano não guarda boas recordações, lamentando os momentos menos bons no clube espanhol.

"Havia uma grande expetativa e um apoio muito grande por parte da direção, do treinador, e as coisas começaram a não correr muito bem. Quando tive a lesão foi quando eu estava a começar a estar muito melhor, a estar adaptado. Mas tu precisas de te adaptar a um estilo de jogo e claramente eu não me adaptei. Foi triste, quando saí, ouvir colegas a dizer que eu não estava comprometido com a equipa. Foi algo estranho, porque se há uma coisa que sempre tentei fazer foi ser profissional ao máximo", explicou.

Seguiu-se a ida para a China e também aí Jackson Martinez não sentiu confiança no passo dado, afirmando que que passou os três dias mais difíceis da carreira depois de assinar pelo Guangzhou Evergrande.

"Foram dias muito tensos. Havia gente a dizer que o Jackson Martinez decidiu ir para a China, que preferiu o dinheiro à glória. O que posso dizer é que eu não procuro a glória, nem tão pouco a minha vida é guiada pelo dinheiro", finalizou.

Lusa

  • BE diz que é urgente preparar o país para a saída do euro
    1:10

    País

    Catarina Martins diz que é urgente preparar o país para o cenário de saída do euro. No final da reunião da mesa nacional do Bloco de Esquerda, a coordenadora do partido criticou o encontro de líderes europeus em Roma e disse ainda que a Europa da convergência chegou ao fim.

  • "Mais UE não significa mais Europa"
    0:50

    País

    O secretário-geral do PCP insiste nas críticas à União Europeia. Um dia depois da comemoração dos 60 anos do Tratado de Roma, Jerónimo de Sousa defendeu, no Seixal, que o modelo europeu está esgotado e prejudica vários países, incluindo Portugal.

  • Mais de 50 detidos pela GNR em 12 horas

    País

    A GNR fez 51 detenções entre as 20:00 de sábado e as 08:00 de hoje, 39 das quais por condução sob efeito do álcool ou sem carta, e três por violência doméstica, segundo um comunicado hoje divulgado.

  • "Um Lugar ao Sol"
    17:05
    Perdidos e Achados

    Perdidos e Achados

    SÁBADO NO JORNAL DA NOITE

    O Perdidos e Achados foi conhecer como eram as férias de outros tempos. Quando o Estado Novo controlava o lazer dos trabalhadores e criava a ilusão de um país exemplar. Na Costa de Caparica, onde é hoje o complexo do INATEL estava instalada a maior colónia de férias do país, chamava-se "Um Lugar ao Sol".

  • Monumentos de 7 mil cidades às escuras por 1 hora
    2:51