sicnot

Perfil

Desporto

Rayo cancela empréstimo de jogador "neonazi" a pedido dos adeptos

Fabrizio Giovannozzi

O futebolista ucraniano Roman Zozulya foi "devolvido" ao Bétis e não poderá jogar durante os próximos seis meses depois de ter sido ligado a grupos de extrema-direita. O Rayo Vallecano tinha contratado há pouco tempo o jogador, que foi apelidado de "neonazi" pelos adeptos durante um treino do clube. No fim, a história não passou de um mal-entendido.

Afinal o jogador de 27 anos não tem quaisquer ligações conhecidas à extrema-direita, apesar dos adeptos de Rayo acreditarem que sim.

O caso remonta a 2016, quando o futebolista foi contratado pelo Sevilha. Na chegada ao aeroporto, o ucraniano levava vestida uma camisola com uma referência ao seu país, com um símbolo que foi confundido pela imprensa com o do grupo paramilitar de extrema-direita Pravy Sektor.

Os adeptos de Rayo não esqueceram a história, e durante um dos treinos do clube apareceram com faixas em contestação. "Vallecas não é lugar para nazis", podia ler-se. De acordo com a imprensa espanhola, a polícia foi chamada a intervir.

O diretor do Betis disse num comunicado publicado no site do clube que "o jogador está muito afetado, ele não esperava que isto acontecesse".

Numa carta que escreveu, Zozulya diz não ter quaisquer ligações com grupos nazis de extrema-direita. "Infelizmente a minha chegada a Espanha foi acompanhada por um mal-entendido que um jornalista - que não sabe nada sobre o meu país - decidiu espalhar", comentou.

A plataforma ADRV que pertence aos adeptos de Rayo emitiu um comunicado em que considera a compra do ucraniano "ridícula". "(Ele) manifestou por várias vezes o seu apoio à extrema-direita, para qual é um símbolo".

O jogador está impedido de jogar durante os próximos seis meses por ter sido emprestado ao Rayo.

  • Primeiro-ministro holandês liga a Costa para explicar palavras de Dijsselbloem
    2:23

    País

    António Costa pediu que Djisselbloem desaparecesse da Presidência do Eurogrupo. Após esta tomada de posição, o primeiro-ministro holandês ligou para Costa na semana passada a dar explicações. Contudo, o primeiro-ministro português não recua e volta a dizer que Dijsselbloem não tem condições para continuar, na sequência das declarações sobre copos e mulheres. Os eurodeputados do Partido Popular Europeu reforçaram também esta terça-feira o pedido de demissão.

  • Surto de hepatite A em Portugal
    2:45

    País

    Há um surto de hepatite A em Portugal. Desde janeiro, 105 pessoas foram diagnosticadas na região de Lisboa e Vale do Tejo, um número superior aos casos contabilizados em todo o país nos últimos 40 anos. O surto terá começado na Holanda e está a atingir quase toda a Europa.

  • Abertura da lagoa de Santo André atrai surfistas e bodyboarders
    4:15
  • Novo vídeo do Daesh mostra crianças a treinar para matar
    3:35
  • Kennedy acreditava que Hitler estava vivo

    Mundo

    Um diário de John F. Kennedy vai a leilão em Boston, nos Estados Unidos da América. O diário foi escrito durante a sua breve carreira como jornalista, depois da 2.ª Guerra Mundial. No livro, foram expostas algumas teorias do antigo Presidente norte-americano, como a possibilidade de Hitler estar vivo.

    Ana Rute Carvalho

  • Trump propõe cortes orçamentais para pagar muro

    Mundo

    O Presidente dos Estados Unidos está a propor cortes de milhões de dólares no orçamento para que os contribuintes norte-americanos, e não o México, paguem o muro a construir na fronteira entre os dois países.

  • Tecnologia permite a tetraplégico mexer mão e braço

    Mundo

    Um homem que ficou tetraplégico num acidente voltou a mover-se com a ajuda da tecnologia e apenas usando o pensamento, num projeto de investigadores dos Estados Unidos divulgado esta terça-feira na revista especializada em medicina The Lancet.