sicnot

Perfil

Desporto

Estudo mostra relação entre prática do futebol e risco de demência

© Scanpix Sweden / Reuters

Os futebolistas profissionais são uma classe com elevado risco de desenvolver doenças cerebrais, que podem causar demência, indica um estudo divulgado esta quarta-feira na revista Acta Neuropathologica.

O estudo analisou 14 futebolistas aposentados e com sintomas de demência que começaram a jogar futebol na infância ou juventude.

Exames post mortem realizados a seis futebolistas mostraram que quatro deles tinham sinais de Encefalopatia Traumática Crónica (CTE), um distúrbio cerebral também observado em antigos praticantes de futebol americano e pugilistas.

Estes dados, recolhidos em 13 futebolistas profissionais e um amador que praticaram futebol durante mais de 25 anos, ficam muito acima da taxa média de 12% encontrada na população em geral.

"As conclusões do nosso estudo mostram uma ligação potencial entre a prática do futebol profissional e a CTE", disse a diretora do estudo, Helen Ling, do Instituto de Neurologia do University College de Londres.

Helen Ling considerou que "há uma necessidade premente de identificar o risco", acrescentando: "É necessário um estudo em grande escala, com a cooperação da federação inglesa de futebol (FA) e da FIFA".

Lusa

  • Desespero e euforia marcaram o 8.º dia de Mundial
    0:50
  • Comprava uma bola de futebol com 9 mil cristais Swarovski?
    2:51
  • Lisboa vence prémio Capital Europeia Verde de 2020

    País

    A cidade de Lisboa venceu o prémio de Capital Europeia Verde de 2020, anunciou o comissário da União Europeia para o Ambiente, Assuntos Marítimos e Pescas, Karmenu Vella, numa cerimónia que decorreu em Nijmegen, na Holanda.

  • Trump culpa democratas pela separação de pais e filhos
    0:22