sicnot

Perfil

Desporto

Polícia chamada ao hotel de Maradona após "forte discussão" com companheira

Maradona e a namorada Rocio Olivia no torneio de ténis Davis Cup em Buenos Aires a 3 de fevereiro.

Natacha Pisarenko / AP

A polícia espanhola foi chamada hoje ao hotel onde está hospedado Diego Maradona, em Madrid, em consequência de uma "forte discussão" entre o ex-futebolista argentino e a companheira, noticia hoje a agência AFP, citando fonte policial.

"Quando os agentes e os elementos da segurança chegaram, nenhum deles [Maradona e a companheira] apresentava ferimentos e nenhum quis apresentar queixa. Tratou-se apenas de uma discussão", precisou a mesma fonte.

A violência da discussão levou os funcionários do hotel Eurostars Mirasierra Suite a chamar a polícia ao quarto de Maradona, que se deslocou à capital espanhola para assistir ao jogo de hoje entre o Real Madrid e o Nápoles, seu antigo clube, da primeira mão dos oitavos de final da Liga dos Campeões.

  • "Almaraz: Uma bomba-relógio aqui ao lado"
    1:56
  • 105 detidos pela PSP e GNR nas últimas 24 horas

    País

    Só a GNR deteve 64 pessoas em flagrante delito, entre a noite de sexta-feira e o início da manhã deste sábado, a maioria das quais (47) por condução sob o efeito do álcool. A PSP de Lisboa efetuou 41 detenções em 24 horas, dez por tráfico de droga.

  • Videoamador mostra grupo a atar tocha a um touro
    1:33
  • PJ investiga forma como o FC Porto obteve os e-mails
    1:58

    Desporto

    Enquanto o campeonato português de futebol está de férias do relvado, nos bastidores continua uma guerra aberta por causa dos e-mails. O FC Porto entregou à Polícia Judiciária toda a documentação disponível do chamado caso dos e-mails, que envolve o Benfica num alegado esquema de corrupção. O pedido foi feito pela Unidade Nacional de Combate à Corrupção da PJ. A forma como o FC Porto obteve os e-mails também está a ser investigada pela Polícia Judiciária.

  • Manifestantes bloquearam Caracas

    Mundo

    Milhares de pessoas bloquearam esta sexta-feira as ruas de Caracas e de outras cidades, em protesto contra a repressão e o assassinato de manifestantes pelas forças de segurança.