sicnot

Perfil

Desporto

Torneio de Wimbledon aumenta prémios para total de 37,4 milhões de euros

O torneio de ténis de Wimbledon vai distribuir 37,4 milhões de euros em prémios na edição de 2017, mais 12,5% do que em 2016, anunciou esta quarta-feira a organização do terceiro Grand Slam do ano.

"Estamos orgulhosos do papel tão importante que Wimbledom tem a nível local, nacional e internacional, e estamos comprometidos a continuar a investir para assegurar o futuro dos campeonatos e do nosso desporto nos próximos anos", disse Philip Brook, presidente da organização.

O All England Tennis Club revelou que os vencedores individuais vão embolsar 2,6 ME cada, mais 236.500 euros do que na última edição. O escocês Andy Murray e a norte-americana Serena Williams, que não compete este ano por estar grávida, são os atuais campeões do torneio.

Nos últimos seis anos, Wimbledon, o mais antigo torneio de ténis do Mundo, duplicou o valor dos seus prémios. A organização revelou ainda que está em curso a remodelação do 'court' um do All England Club, nomeadamente a conclusão do "primeiro ano de um complexo programa de três anos para instalar uma cobertura retrátil".

A empreitada está orçada em 82,7 ME, começou após a edição de 2016 e estará concluída em 2019, aumentando também a capacidade do recinto em 900 espetadores para 12.400.

O 'court' central, com capacidade para 15.000 espetadores, tem uma cobertura retrátil desde 2009, para que os desafios se pudessem realizar, mesmo com chuva: a estrutura translucida de 5.200 metros quadrados deixa passar a luz natural e demora cerca de 10 minutos a cobrir o recinto.

Lusa

  • "É evidente que não fecho a porta ao Eurogrupo"
    1:38

    Economia

    O ministro das Finanças diz que não fecha a porta ao Eurogrupo. A declaração é feita numa entrevista ao semanário Expresso. No entanto, Mário Centeno deixa a ressalva que qualquer ministro das Finanças do Eurogrupo pode ser presidente.

  • Com a multiplicação de bons indicadores económicos e financeiros do país, multiplicam-se os elogios ao Governo e declaram-se mortas e enterradas as políticas do passado recente, nomeadamente a da austeridade. Nada mais errado. O que os bons resultados agora alcançados provam definitivamente é que a austeridade resolveu de facto os problemas das contas públicas e, mais do que isso, contribuiu para o crescimento económico que foi garantido por reformas estruturais e pela reorientação do modelo económico.

    José Gomes Ferreira

  • Raízes de ciência e rebentos de esperança
    14:14
  • Portugal pode ser atingido por longos períodos de seca

    País

    Portugal e Espanha podem ser atingidos até 2100 por 'megasecas', períodos de seca de dez ou mais anos, segundo os piores cenários traçados num estudo da universidade britânica Newcastle, que tem a participação de uma investigadora portuguesa.

  • G7 reforça compromisso na luta contra o terrorismo
    2:11