sicnot

Perfil

Desporto

É oficial: FC Porto e Sporting reatam relações

Rafael Marchante

Quatro anos depois, FC Porto e Sporting anunciaram o "reatamento das relações institucionais". Em comunicado, os dois clubes afirmam que é muito mais aquilo que os une do que aquilo que os separa. E não são "anti seja quem for".

O corte de relações durava há quase quatro anos, desde que um desentendimento entre Bruno de Carvalho e o vice-presidente do FC Porto, Adelino Caldeira, na final da Taça de Portugal de Andebol, levou a direção do Sporting a tomar uma posição de força.

Os sinais de aproximação foram-se sucedendo nas últimas semanas e ontem os diretores de comunicação dos dois clubes reuniram-se mesmo num hotel em Lisboa.

Esta manhã, formalizaram o reatar de relações institucionais num comunicado conjunto.

Garantem que o encontro de ideias não é contra ninguém ou nenhum outro clube e referem:

"Concluída esta reunião, verificámos que há caminho que pode e deve ser feito em conjunto, considerando que é muito mais aquilo que nos une do que aquilo que nos separa."

Os dois clubes explicam que discutiram vários temas, entre eles o videoárbitro, a legislação sobre as claques ("doa a quem doer", referem), a publicidade dos relatórios dos árbitros e delegados ou alterações ao regulamento disciplinar e substituição do coordenador dos delegados da Liga.

São alguns dos pontos em comum que justificam este reatamento das relações institucionais que acontece na semana em que o Benfica pode sagrar-se tetracampeão nacional.

  • "É evidente que não fecho a porta ao Eurogrupo"
    1:38

    Economia

    O ministro das Finanças diz que não fecha a porta ao Eurogrupo. A declaração é feita numa entrevista ao semanário Expresso. No entanto, Mário Centeno deixa a ressalva que qualquer ministro das Finanças do Eurogrupo pode ser presidente.

  • Com a multiplicação de bons indicadores económicos e financeiros do país, multiplicam-se os elogios ao Governo e declaram-se mortas e enterradas as políticas do passado recente, nomeadamente a da austeridade. Nada mais errado. O que os bons resultados agora alcançados provam definitivamente é que a austeridade resolveu de facto os problemas das contas públicas e, mais do que isso, contribuiu para o crescimento económico que foi garantido por reformas estruturais e pela reorientação do modelo económico.

    José Gomes Ferreira

  • Raízes de ciência e rebentos de esperança
    14:14
  • Portugal pode ser atingido por longos períodos de seca

    País

    Portugal e Espanha podem ser atingidos até 2100 por 'megasecas', períodos de seca de dez ou mais anos, segundo os piores cenários traçados num estudo da universidade britânica Newcastle, que tem a participação de uma investigadora portuguesa.

  • G7 reforça compromisso na luta contra o terrorismo
    2:11