Desporto

Ligas de futebol de Portugal e Espanha celebram acordo de colaboração

(Reuters/ Arquivo)

As Ligas de futebol de Portugal e Espanha celebraram esta quarta-feira um acordo, para a promoção internacional dos dois organismos e colaboração em matéria de controlo financeiro e responsabilidade social.

A Liga espanhola vai assessorar a congénere portuguesa no desenvolvimento de um programa de controlo financeiro, como já sucede em Espanha, "com o objetivo de assegurar maior transparência económica e financeira no futebol português, bem como na gestão dos clubes que o integram".

No acordo estabelecido entre os líderes dos dois organismos, Pedro Proença e Javier Tebas, está prevista a realização de seminários, com vista ao intercâmbio de informação em matéria financeira entre clubes portugueses e espanhóis.

Outros dos pontos relevantes passa pelo reforço da internacionalização das competições profissionais dos dois países, num esforço conjunto que se estende às áreas da direção desportiva, marketing, administração, segurança e combate à fraude desportiva.

"Ambas as instituições trabalharão em matéria de arbitragem profissional, para se manterem em sintonia com a evolução do futebol profissional", numa área em que Portugal foi pioneiro, com a introdução do vídeoárbitro, na época 2017/18.

A nível dos escalões de formação, a Liga portuguesa vai colaborar no torneio infantil organizado anualmente em Espanha, existindo a possibilidade de estabelecer "academias de excelência" da Liga espanhola em território nacional.

A parceria prevê também que o organismo de clubes português seja assessorado pelo espanhol na criação de uma fundação e no desenvolvimento de projetos sociais.

Lusa

  • Marcelo assinala "passos importantes" na Cimeira da CPLP
    2:16
  • Manuel Pinho quer que inquérito do caso EDP seja atribuído a outros procuradores
    2:53

    País

    Manuel Pinho quer que o inquérito do caso EDP seja atribuído a outros procuradores. Numa carta enviada ao diretor do Departamento Central de Investigação e Ação Penal, a defesa do ex-ministro da Economia acusa os magistrados de imparcialidade, realçando como os procuradores do inquérito inviabilizaram as datas alternativas apresentadas pelo advogado.

  • "Os Maias" deixam de ser leitura obrigatória no secundário

    País

    Obras como "Os Maias" e "A Ilustre Casa de Ramires", de Eça de Queirós, vão deixar de ser de leitura obrigatória no ensino secundário a partir do próximo ano letivo. Os alunos deixam de ter indicação de uma obra específica para ler, passando o professor a escolher livremente uma obra de cada autor. O objetivo é fazer face aos programas extensos.

  • Santana diz que a concorrência é livre
    0:52

    País

    Santana Lopes sublinha que quer causar o menor dano possível ao PSD com a criação de um novo partido. O antigo primeiro-ministro diz no entanto que, apesar disso, a concorrência é livre. Isto depois de um estudo feito pela Eurosondagem mostrar que 4,8% dos inquiridos votaria num novo partido de Santana Lopes. O político diz que o número é inspirador, mas não adianta certezas sobre os próximos passos.

  • "Eu disse 'seria' quando queria dizer 'não seria'"
    1:34