Desporto

Quando um dérbi é visto como tábua de salvação para o Benfica

MANUEL DE ALMEIDA

O Benfica vai disputar esta quarta-feira o dérbi com o rival Sporting com o campeonato como "tábua de salvação" de uma época em que foi eliminado de todas as outras competições ainda antes do fim do ano civil.

Dois dos últimos três jogos do clube lisboeta resultaram no afastamento prematuro da Taça de Portugal e da Taça da Liga, depois de já ter saído da Liga dos Campeões só com derrotas. Mas na I Liga, o tetracampeão nacional continua agarrado à perspetiva de conquistar o inédito penta.

O Benfica, que até iniciou a temporada com a conquista da Supertaça, ao vencer por 3-1 o Vitória de Guimarães, chega ao confronto da 16.ª jornada, penúltima da primeira volta, a três pontos do Sporting e do FC Porto, podendo igualar os leões caso se imponha no jogo do Estádio da Luz.

O arranque seguro do Benfica

As transferências milionárias do guarda-redes Ederson e dos defesas Lindelof e Nelson Semedo desfiguraram o setor mais recuado do Benfica, mas, ainda assim, os encarnados protagonizaram um arranque de campeonato muito seguro, com quatro vitórias nas cinco rondas iniciais.

Depois dos triunfos sobre o Sporting de Braga (3-1, em casa), Desportivo de Chaves (1-0, fora) e Belenenses (5-0, em casa), o Benfica perdeu os primeiros pontos no estádio do Rio Ave (1-1), antes de cumprir os serviços mínimos (2-1) na receção ao Portimonense.

As águias atravessavam o momento mais delicado na prova, tendo sofrido a primeira e única derrota na jornada seguinte, na visita ao terreno do Boavista, por 2-1, voltando a tropeçar (1-1) duas semanas mais tarde, frente ao Marítimo, com um triunfo por 2-0 sobre o Paços de Ferreira de permeio.

Queda na Champions

O Benfica chegava ao fim da oitava jornada com menos cinco pontos do que o FC Porto e menos três em relação ao Sporting, numa altura em que também começava a escrever a sua história de insucesso na Liga dos Campeões, que deixou com o pior desempenho de sempre de uma equipa portuguesa.

Na I Liga, em contrapartida, a equipa treinada por Rui Vitória emendava a mão, obtendo quatro triunfos seguidos, sobre o Desportivo das Aves (3-1, fora), Feirense (1-0, em casa), Vitória de Guimarães (3-1, fora) e Vitória de Setúbal (6-0, em casa).

O tetracampeão conseguiu depois sair do Estádio do Dragão com as possibilidades de ser campeão intactas, ao empatar 0-0 com o FC Porto, e não vacilou nos dois encontros seguintes, na receção ao Estoril-Praia (3-1) e na visita a Tondela (5-1).

PAULO NOVAIS

Se o Benfica se mantém na corrida pelo título, deve-o em grande medida ao avançado brasileiro Jonas, melhor marcador do campeonato, com 18 golos (mais cinco do que o holandês Bas Dost, do Sporting), tendo ficado em branco em apenas dois jogos, com o Chaves e o FC Porto.

Lusa

  • Há uma praga de gaivotas no Porto
    2:13
  • Construção civil volta a crescer
    0:49

    Economia

    Depois de anos a ser um dos setores mais penalizados pela crise a construção civil voltou a crescer. Em 2017 foram licenciados quase 19 mil edifícios, um aumento de 10% em relação ao ano anterior. 

  • Novo vídeo mostra rapazes tailandeses a dizer que estão bem e a agradecer apoio
    2:07