Desporto

"Não te queremos", "Não és Rei"

Um mural em homenagem ao basquetebolista LeBron James, o mais recente reforço dos Lakers, foi vandalizado em Los Angeles.

A pintura, feita na semana passada, dá as boas-vindas ao atleta e apelida-o de "Rei de Los Angeles". Algo que parece não ter agradado a todos. Depois de um adepto ter lançado um desafio nas redes sociais, oferecendo 300 dólares (cerca de 255 euros) a quem estragasse a pintura, o repto parece ter sido aceite.

Pouco tempo depois de ter sido criado, o mural foi vandalizado com frases como "Não te queremos", "Não és Rei", "LeFraud", e "3-6", em referência ao recorde negativo do basquetebolista nas finais da NBA.

Apesar do estrago, os artistas voltaram ao local este domingo e "retocaram" a pintura, eliminado todos os vestígios de vandalismo. No Instagram partilharam uma fotografia do trabalho, onde escreveram "Não me parece assim tão 'arruinado'… mas boa tentativa".

LeBron James assinou um contrato válido por quatro anos com os Los Angeles Lakers, da Liga norte-americana de basquetebol (NBA), por 154 milhões de dólares (132 milhões de euros).

Instagram
  • "Bebemos a água que escorria das rochas"

    Mundo

    Os 12 rapazes e o treinador que ficaram presos numa gruta na Tailândia durante 18 dias revelaram hoje alguns pormenores de como sobreviveram, na primeira conferência de imprensa.

  • Ora Eça!

    Opinião

    Eça, o meu conterrâneo que se definia como sendo "apenas um pobre homem da Póvoa de Varzim" não haveria de gostar de nada que fosse obrigatório. Durante décadas, Os Maias lá estiveram, quem sabe numa progressista lista pós-revolução, dada a natureza "sexual e incestuosa" da obra. Sai dessa lista agora. Claro que sai. "Ninguém" gostava de "ter de" ler Os Maias.

    Pedro Cruz

  • "Os Maias" deixam de ser leitura obrigatória no secundário

    País

    Obras como "Os Maias" e "A Ilustre Casa de Ramires", de Eça de Queirós, vão deixar de ser de leitura obrigatória no ensino secundário a partir do próximo ano letivo. Os alunos deixam de ter indicação de uma obra específica para ler, passando o professor a escolher livremente uma obra de cada autor. O objetivo é fazer face aos programas extensos.

  • Marcelo assinala "passos importantes" na Cimeira da CPLP
    2:16