Última Edição

1
0:05

Última Edição

2
5:41

PS acusa Passos Coelho de "fugir" ao esclarecimento das grandes questões do país

3
2:54

Bloco de Esquerda acusa o primeiro-ministro de insensibilidade social

4
4:33

PSD diz que entrevista do primeiro-ministro mobilizou o país para uma nova etapa

5
1:25

PCP considera entrevista de Passos Coelho um "momento de propaganda"

6
1:42

CDS-PP enaltece entrevista de primeiro-ministro em registo de "fim de ciclo da 'troika'"

7
1:28

Os Verdes defendem que a pobreza e o desemprego não são prioridade do Governo

8
1:26

Tribunal obriga Ministério a reintegrar jurista condenada por burla e falsificação

9
0:50

Rasmussen apela à Rússia para que retire as tropas da fronteira com a Ucrânia

10
1:34

Presidente interino da Ucrânia anuncia início de "operação anti-terrorista"

11
0:35

Jorge Jesus confiante apesar das possíveis baixas de Luisão, Fejsa e Amorim

12
0:51

Treinador do FC Porto não fez a antevisão do jogo com o Benfica

13
1:01

Tribunal de Contas não recebeu contrato para a venda das obras de Miró

14
1:48

Banda desenhada sobre Freddie Mercury editada em Inglaterra

15:38 16.05.2012

Mais de 400 mil trabalhadores procuram emprego há mais de um ano

Arquivo Lusa

No primeiro trimestre deste ano havia 416 mil  pessoas à procura de emprego há pelo menos um ano, segundo dados hoje divulgados  pelo Instituto Nacional de Estatística (INE). 

Os números do INE revelam que a taxa de desemprego de longa duração  (isto é, a percentagem da população ativa sem emprego há mais de um ano)  atingiu os 7,6 por cento - ou seja, mais de metade da taxa total. 

Estes números são máximos históricos. No entanto, o desemprego de muito  longa duração - pessoas sem emprego há mais de dois anos - caiu no primeiro  trimestre, embora continue a níveis muito altos: estava nos 249 mil no último  trimestre de 2011, está nos 228 mil no início de 2012.  

Alguns destes desempregados terão arranjado emprego; outros terão desistido  de procurar. Ainda segundo o INE, 17 por cento dos desempregados (independentemente  da duração) no final do ano passado arranjaram emprego; outros 14 por cento  passaram à condição de inativos. 

A taxa de desemprego oficial no primeiro trimestre situou-se nos 14,9  por cento. 

 

Comentários

ATENÇÃO:ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.
Publicidade

Agora

Facebook

Mais Populares

Comentários

Publicidade

Agora

Facebook

Mais Populares

Economia

Publicidade

Agora

Facebook

Mais Populares

CT: NEWS
X

Sabia que o seu Internet Explorer está desatualizado?

Para usufruir da melhor experiência de navegação na nossa página web recomendamos que atualize para uma nova versão. Por favor faça a atualização aqui .