ltima Edição

1
0:05

Última Edição

2
2:06

São Paulo e Rio de Janeiro palco de violência em protestos contra morte de dois jovens

3
1:57

"Insultos entre agentes políticos não promovem o crescimento"

4
2:18

Oposição diz que troika admitiu que austeridade é para continuar

5
0:57

Conselho de Finanças Públicas arrasa medidas orçamentais do Governo

6
1:46

Tekever assinou acordo com empresa chinesa de tecnologias de satélite

7
1:36

Última avaliação da troika traz exigências antigas ao ajustamento português

8
2:07

Fecho de repartições de Finanças ainda não está decidido, diz Poiares Maduro

9
1:21

Homem que regou namorada com gasolina condenado a nove anos e meio de prisão

10
1:03

Carro dos bombeiros da Trofa incendiou-se em acidente na A3

11
1:17

Grupo femininista protesta em topless em Paris contra extrema-direita

12
1:46

Líder nacionalista russo apela à violação de uma jornalista grávida

13
2:33

Miguel Araújo apresenta novo álbum com concerto no grupo Impresa

14
5:37

"Marretas Procuram-se" estreia esta semana em Portugal

15:38 16.05.2012

Mais de 400 mil trabalhadores procuram emprego há mais de um ano

Arquivo Lusa

No primeiro trimestre deste ano havia 416 mil  pessoas à procura de emprego há pelo menos um ano, segundo dados hoje divulgados  pelo Instituto Nacional de Estatística (INE). 

Os números do INE revelam que a taxa de desemprego de longa duração  (isto é, a percentagem da população ativa sem emprego há mais de um ano)  atingiu os 7,6 por cento - ou seja, mais de metade da taxa total. 

Estes números são máximos históricos. No entanto, o desemprego de muito  longa duração - pessoas sem emprego há mais de dois anos - caiu no primeiro  trimestre, embora continue a níveis muito altos: estava nos 249 mil no último  trimestre de 2011, está nos 228 mil no início de 2012.  

Alguns destes desempregados terão arranjado emprego; outros terão desistido  de procurar. Ainda segundo o INE, 17 por cento dos desempregados (independentemente  da duração) no final do ano passado arranjaram emprego; outros 14 por cento  passaram à condição de inativos. 

A taxa de desemprego oficial no primeiro trimestre situou-se nos 14,9  por cento. 

 

Comentários

ATENÇÃO:ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.
Publicidade

Agora

Facebook

Mais Populares

Comentários

Publicidade

Agora

Facebook

Mais Populares

Economia

Publicidade

Agora

Facebook

Mais Populares

CT: NEWS
X

Sabia que o seu Internet Explorer está desatualizado?

Para usufruir da melhor experiência de navegação na nossa página web recomendamos que atualize para uma nova versão. Por favor faça a atualização aqui .