Última Edição

0
0:05

Última Edição

1
1:28

Amanda Knox e ex-namorado declarados inocentes do homicídio de 2007

2
1:28

Operações nos Alpes podem demorar mais duas semanas

3
2:29

Testes psicológicos aos candidatos a pilotos na Europa deixaram de ser obrigatórios no ano 2000

4
1:27

Hospital de Dusseldorf vai entregar ficha clínica de copiloto aos investigadores

5
3:30

O único português que mora perto das operações de resgate do A320

6
2:16

Presença de duas pessoas no cockpit em vigor desde o 11 de setembro nos EUA

7
1:32

Cavaco Silva critica quem tenta esconder previsões positivas da economia

8
2:27

Primeiro-ministro descreve Portugal como um país de forte resiliência

9
1:36

Companhias nacionais passam a ter duas pessoas no cokcpit

10
2:23

Ministra das Finanças rejeita responsabilidade na lista de contribuintes VIP

11
0:58

Francisco Louçã diz que há "enorme arrogância" por parte da agência Fitch

12
0:20

Portugal vai acolher refugiados da Síria e do Líbano

13
0:47

Luís Filipe Vieira pede aos adeptos mais apoio até ao final do campeonato

14
1:40

Pepe continua em dúvida para o jogo com a Sérvia

15:38 16.05.2012

Mais de 400 mil trabalhadores procuram emprego há mais de um ano

LUSA Arquivo Lusa

No primeiro trimestre deste ano havia 416 mil  pessoas à procura de emprego há pelo menos um ano, segundo dados hoje divulgados  pelo Instituto Nacional de Estatística (INE). 

Os números do INE revelam que a taxa de desemprego de longa duração  (isto é, a percentagem da população ativa sem emprego há mais de um ano)  atingiu os 7,6 por cento - ou seja, mais de metade da taxa total. 

Estes números são máximos históricos. No entanto, o desemprego de muito  longa duração - pessoas sem emprego há mais de dois anos - caiu no primeiro  trimestre, embora continue a níveis muito altos: estava nos 249 mil no último  trimestre de 2011, está nos 228 mil no início de 2012.  

Alguns destes desempregados terão arranjado emprego; outros terão desistido  de procurar. Ainda segundo o INE, 17 por cento dos desempregados (independentemente  da duração) no final do ano passado arranjaram emprego; outros 14 por cento  passaram à condição de inativos. 

A taxa de desemprego oficial no primeiro trimestre situou-se nos 14,9  por cento. 

 

Comentários

ATENÇÃO:ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.
Publicidade

Agora

Inquérito

Facebook

Mais Populares

Comentários

Publicidade

Agora

Inquérito

Facebook

Mais Populares

Economia

Publicidade

Agora

Inquérito

Facebook

Mais Populares

CT: NEWS
X

Sabia que o seu Internet Explorer está desatualizado?

Para usufruir da melhor experiência de navegação na nossa página web recomendamos que atualize para uma nova versão. Por favor faça a atualização aqui .