Última Edição

0
0:05

Última Edição

1
0:41

Situação pode piorar nos próximos dias, diz porta-voz da TAP

2
2:10

Bombardeamento de escola na Síria faz pelo menos sete vítimas mortais

3
2:09

António Costa diz que missão do PS é mudar de política e de Governo

4
2:16

Queda de árvore matou um homem em Braga

5
2:14

Cavaco considera economia portuguesa mais competitiva e sustentável

6
0:38

Nuno Amado diz que regresso aos lucros era uma meta do BCP traçada para este ano

7
2:17

Cavaco Silva diz que lei de cobertura das Legislativas deve ser mudada

8
1:33

Marcelo diz que Rui Rio é candidato da Direita com melhores condições para as Presidenciais

9
2:29

Condutor que atropelou peregrinos indiciado por cinco crimes de homicídio por negligência

10
1:01

Guarda Civil de Salamanca não avança causas de acidente que vitimou portuguesas

11
2:36

Portugueses em Londres partilham expectativas sobre possível limite à emigração no país

12
1:09

70 anos da II Guerra Mundial

13
2:03

Imprensa italiana aponta Jesus e Lopetegui ao Milan

15:38 16.05.2012

Mais de 400 mil trabalhadores procuram emprego há mais de um ano

LUSA Arquivo Lusa

No primeiro trimestre deste ano havia 416 mil  pessoas à procura de emprego há pelo menos um ano, segundo dados hoje divulgados  pelo Instituto Nacional de Estatística (INE). 

Os números do INE revelam que a taxa de desemprego de longa duração  (isto é, a percentagem da população ativa sem emprego há mais de um ano)  atingiu os 7,6 por cento - ou seja, mais de metade da taxa total. 

Estes números são máximos históricos. No entanto, o desemprego de muito  longa duração - pessoas sem emprego há mais de dois anos - caiu no primeiro  trimestre, embora continue a níveis muito altos: estava nos 249 mil no último  trimestre de 2011, está nos 228 mil no início de 2012.  

Alguns destes desempregados terão arranjado emprego; outros terão desistido  de procurar. Ainda segundo o INE, 17 por cento dos desempregados (independentemente  da duração) no final do ano passado arranjaram emprego; outros 14 por cento  passaram à condição de inativos. 

A taxa de desemprego oficial no primeiro trimestre situou-se nos 14,9  por cento. 

 

Comentários

ATENÇÃO:ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.
Publicidade

Agora

Inquérito

Facebook

Mais Populares

Comentários

Publicidade

Agora

Inquérito

Facebook

Mais Populares

Economia

Publicidade

Agora

Inquérito

Facebook

Mais Populares

CT: NEWS
X

Sabia que o seu Internet Explorer está desatualizado?

Para usufruir da melhor experiência de navegação na nossa página web recomendamos que atualize para uma nova versão. Por favor faça a atualização aqui .