Economia

Movimento Sem Emprego exige medidas de apoio aos desempregados

Os manifestantes do Movimento Sem Emprego (MSE)  exigiram hoje junto do Parlamento medidas de apoio aos desempregados, num  momento em que o desemprego jovem atinge mais de 30 por cento. 

(SIC)

(SIC)

"O trabalhador desempregado não quer esmola, quer direitos para si e  para os seus", refere o manifesto aprovado pelos elementos que se concentraram  hoje junto à Assembleia da República, depois de um percurso de uma hora  desde o Largo Camões, em Lisboa.  

O percurso decorreu sem incidentes e foi marcado por palavras de intervenção  contra o Governo e muita canções, adaptando as letras de algumas bandas  comerciais, como "Coelho Gaspar, Ai. assim você me mata, queremos trabalho",  de Michel Teló, ou "Troika olha o desemprego, troika quero trabalhar, troika  vai-te embora trabalhar, troika não te queremos cá", dos Pet Shop Boys.

Reunidos em frente ao edifício do Parlamento, um elemento da organização  do MSE leu um manifesto que chamava a atenção dos políticos para o "aumento  do desemprego, do trabalho precário e trabalho sem direitos".  

Depois da leitura do texto, os manifestantes intervieram com testemunhos  pessoais da sua situação de desemprego.  

Ao longo da manifestação, os participantes distribuíram panfletos a  convocar para repetir a manifestação do "15 de outubro". 

Lusa

  • Há uma praga de gaivotas no Porto
    2:13
  • Construção civil volta a crescer
    0:49

    Economia

    Depois de anos a ser um dos setores mais penalizados pela crise a construção civil voltou a crescer. Em 2017 foram licenciados quase 19 mil edifícios, um aumento de 10% em relação ao ano anterior. 

  • Novo vídeo mostra rapazes tailandeses a dizer que estão bem e a agradecer apoio
    2:07