sicnot

Perfil

Economia

Lucro dos CTT sobe 26,5% no ano passado para 77,2 M€

O lucro dos CTT - Correios de Portugal subiu 26,5% no ano passado, face a 2013, para 77,2 milhões de euros, anunciou hoje a empresa liderada por Francisco de Lacerda.

(Reuters/Arquivo)

Em comunicado enviado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), os CTT adiantam que os rendimentos operacionais totais cresceram 2,4% para 717,8 milhões de euros, "invertendo cinco anos de declínio".

O resultado antes de impostos, juros, depreciações e amortizações (EBITDA) recorrentes (antes de rendimentos e gastos recorrentes) subiram 9,9% para 135,1 milhões de euros.

Os CTT adiantam que os rendimentos de correio inverteram a tendência passada e subiram 0,8%, resultante da desaceleração na queda no tráfego de correio endereçado para 5,7% e do aumento do preço médio do Serviço Postal Universal de 4,1%.

Além disso, "os serviços financeiros consolidam a oferta e posição de mercado e conseguem um forte crescimento dos rendimentos recorrentes de 21,4%, reforçando esta alavanca como fundamental no crescimento global dos CTT", acrescentam.

No caso do expresso e encomendas, estas apresentaram um "decréscimo marginal de rendimentos de 0,4%, apesar do tráfego crescer 0,9%, em resultado do efeito de 'mix' de produtos, já que o crescimento está a ocorrer principalmente no segmento 'B2C' [negócio virado para o consumidor]".


Lusa
  • Benefícios fiscais trouxeram a Portugal 10 mil estrangeiros em 2015

    Economia

    Os benefícios fiscais em Portugal atraíram mais de 10 mil estrangeiros no ano passado. A maioria vem com o estatuto de residente não habitual, que dá isenção total de IRS aos reformados por dez anos e 20% de isenção no imposto para profissionais que estiverem ligados a atividades de valor acrescentado como Psicologia, Investigação ou Medicina.

  • Trump e os jornalistas: uma relação (su)rreal
    2:08
  • Novo campo de refugiados construído em Mossul

    Mundo

    Um novo campo de refugiados foi construído em Mossul, no Iraque. Com cerca de 4 mil tendas, foi construído durante 45 dias para albergar os deslocados que se prevê que aumentem com a atual ofensiva militar na zona ocidental da cidade.