sicnot

Perfil

Economia

Portugal emite mais 4.000 M€ e reduz almofada em 2.000 M€ para reembolsar FMI

O Estado vai emitir mais 4.000 milhões de euros este ano do que o inicialmente previsto e reduzir a almofada financeira em 2.000 milhões de euros para reembolsar o FMI, disse hoje a presidente do IGCP.

LUSA

"O plano de emissões foi alterado em 6.000 milhões de euros: 2.000 milhões vão resultar da redução das reservas de liquidez e 4.000 milhões no aumento das emissões", disse hoje Cristina Casalinho no parlamento, quando questionada pelo deputado do PS João Galamba sobre como será feito o reembolso ao Fundo Monetário Internacional (FMI). 

A presidente da Agência de Gestão da Dívida Pública (IGCP) está a ser hoje ouvida na Comissão parlamentar de Orçamento, Finanças e Administração Pública, na qual admitiu a redução da 'almofada' financeira para reembolsar o FMI. 

Até ao fim do mês de março, segundo avançou a ministra das Finanças, na semana passada, vão ser pagos 6.000 milhões de euros à instituição liderada por Christine Lagarde, acima dos 500 milhões que estavam inicialmente programados. 

Inicialmente na sua intervenção hoje no parlamento, Cristina Casalinho recordou que as necessidades de financiamento este ano são de 11.000 milhões de euros, dos quais 6.000 milhões decorrem do défice e 5.000 milhões do financiamento a empresas públicas.

A presidente do IGCP acrescentou ainda que está prevista para este ano a amortização de 7.000 milhões de euros de Obrigações de Tesouro (OT) e de EMTN (European Medium Term Notes), este último que vence em março.

"Para o resto do ano, temos emissões de 5.000 milhões de euros e temos previsto 600 milhões de euros da arrecadação dos CA [Certificados de Aforro] e CT [Certificados de Tesouro] e emissões adicionais de 8.900 milhões de euros", afirmou a presidente do IGCP, acrescentando que "a expectativa de saldo de reservas financeiras no final do ano é de 8.500 milhões de euros".



Lusa
  • Carro que atropelou adepto encontrado na casa de um amigo do suspeito
    2:18

    Desporto

    O carro que terá atropelado o adepto italiano que morreu junto ao Estádio da Luz foi encontrado esta terça-feira, numa garagem na Amadora, na casa de um amigo do suspeito. Trata-se de um homem na casa dos 30 anos que pertence à claque No Name boys e é agora procurado pela Polícia Judiciária.

  • Os filhos do divórcio
    20:50
  • Será que lavar em lavandarias self-service compensa?
    8:21
  • A SIC foi dar uma volta de bicicleta

    País

    Há 90 anos, cerca de 40 ciclistas partiam do Marquês de Pombal, em Lisboa, para a primeira etapa da 1.ª Volta a Portugal de Bicicleta. Hoje, um grupo de investigadores repete o percurso, até Setúbal, dando início a uma viagem que pretende incentivar o uso da bicicleta como meio de transporte no dia-a-dia. Um jornalista da SIC segue no pelotão e pode acompanhar a viagem em direto no Facebook da SIC Notícias.

    SIC

  • Avião divergiu para as Lajes devido a discussão a bordo

    País

    Um avião da companhia aérea British Airways divergiu hoje para o aeroporto das Lajes, na ilha Terceira, nos Açores, devido a uma discussão a bordo entre um casal de passageiros e a tripulação, informou hoje a Força Aérea Portuguesa.

  • Web Summit inaugura primeiro escritório fora da Irlanda em Lisboa
    1:58

    Web Summit

    A Web Summit inaugurou em Lisboa o primeiro escritório fora da Irlanda, que vai dar emprego a 20 pessoas, algumas portuguesas. O próximo objectivo é alargar eventos a outros pontos do país. A conferência internacional regressa a Lisboa entre 6 e 9 de novembro e, a organização espera ter 60 mil participantes.

  • Ivanka Trump vaiada por defender o pai durante debate sobre igualdade de género
    1:51

    Mundo

    Com o propósito de criar pontes com Donald Trump, a chanceler alemã Angela Merkel convidou a filha mais velha do Presidente norte-americano para participar numa cimeira. No entanto as coisas não correram muito bem e Ivanka Trump foi vaiada pela audiência por ter defendido o pai quando o assunto era a igualdade de género. 

  • Irmã da mulher mais pesada do mundo acusa hospital de mentir

    Mundo

    A irmã da mulher egípcia que se acreditava ser a mais pesada do mundo acusou os médicos de mentirem acerca da sua perda de peso. No entanto, o hospital que realizou a cirurgia bariátrica já respondeu às acusações, defendendo que a mulher pesa agora 172 quilos.