sicnot

Perfil

Economia

Presidente CMVM diz não ser "normal" supervisor saber da fusão BCP/BPI depois dos media

O presidente da Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), Carlos tavares, disse hoje não achar "normal" que a informação sobre a proposta de fusão entre o BPI e o BCP tenha chegado primeiro aos media que ao supervisor. 

O presidente da CMVM, Carlos Tavares (Arquivo)

O presidente da CMVM, Carlos Tavares (Arquivo)

Lusa

Questionado sobre o assunto, à margem da sua audição na comissão parlamentar para a Ética, a Cidadania e a Comunicação, Carlos Tavares afirmou: "Não acho normal".

O presidente da CMVM escusou-se a fazer comentários sobre o tema.

Na segunda-feira, o Expresso 'online' noticiou que a empresária angolana Isabel dos Santos, segunda maior acionista do BPI, através da empresa Santoro, iria propor que se iniciassem conversações entre o BPI e o BCP - onde a Sonangol detém a maior posição acionista - com vista a uma fusão.

Na sequência desta notícia, a CMVM pediu esclarecimentos a Isabel dos Santos sobre o assunto.

Entretanto, na terça-feira, tanto o BPI como o BCP confirmaram que tinham recebido uma carta da empresária angolana, em nome da Santoro Finance, a propor uma fusão entre os dois bancos portugueses.



Lusa

  • Advogados de Sócrates queixam-se de bullying processual e mediático
    2:13

    Operação Marquês

    Os advogados de José Sócrates queixam-se de bullying processual e mediático e garantem que o antigo primeiro-ministro nunca favoreceu Ricardo Salgado ou o Grupo Espirito Santo. Segundo o Expresso, o presidente da Escom, Helder Bataglia, terá admitido que Ricardo Salgado utilizou uma conta bancária do empresário, na Suíça, para passar 12 milhões de euros a Carlos Santos Silva, alegadamente para o amigo José Sócrates.

  • Marine Le Pen diz que Brexit terá efeito dominó na UE
    0:39

    Brexit

    Marine Le Pen diz que o Brexit vai ter um efeito dominó na União Europeia. Durante um congresso da extrema-direita, a lider da Frente Nacional francesa afirmou que a Europa vai despertar este ano em que estão marcadas eleiçoes em vários países, como a Alemanha e a Holanda.