sicnot

Perfil

Economia

Países da UE querem diminuir preço do 'roaming' mas rejeitam a sua eliminação

Os países da União Europeia (UE) decidiram esta quarta-feira propor uma redução, a partir de junho de 2016, do preço do 'roaming', a utilização do telemóvel em viagem fora do país de origem e em outros Estados-membros.

Numa reunião dos seus embaixadores, os países da UE decidiram a posição que vão adotar nas negociações com o Parlamento Europeu, outro legislador comunitário, sobre as futuras normas do 'roaming' e a neutralidade da internet. (Arquivo)

Numa reunião dos seus embaixadores, os países da UE decidiram a posição que vão adotar nas negociações com o Parlamento Europeu, outro legislador comunitário, sobre as futuras normas do 'roaming' e a neutralidade da internet. (Arquivo)

© Christian Hartmann / Reuters

A proposta difere daquela que tinha sido apresentada pela Comissão Europeia (CE), que tinha sugerido a eliminação de qualquer custo suplementar por este serviço de chamadas de telemóvel.  

Numa reunião dos seus embaixadores, os países da UE decidiram a posição que vão adotar nas negociações com o Parlamento Europeu, outro legislador comunitário, sobre as futuras normas do 'roaming' e a neutralidade da internet. 

A UE vai legislar sobre estes dois assuntos após o Conselho Europeu, onde estão representados os 28 Estados-membros, ter rejeitado um vasto pacote legislativo que incluía as mesmas soluções, uma proposta designada pela Comissão "Continente ligado" e que incluía uma série de medidas em várias áreas para criar um "verdadeiro mercado único das telecomunicações". 

Com base na proposta da CE sobre o fim do 'roaming' em 2016, o Parlamento Europeu já aprovou em abril a eliminação desses encargos, e a aplicação aos utilizadores das mesmas tarifas móveis por chamada ou ligação de dados, independentemente do país em que se encontrem. 
Lusa
  • Novo Banco vai reestruturar dívida de Luís Filipe Vieira
    1:22

    Desporto

    O Novo Banco vai reestruturar parte da dívida da empresa de Luís Filipe Vieira, que ronda os 400 milhões de euros. Parte dos ativos da empresa foram transferidos para um fundo para serem rentabilizados no prazo de cinco anos. Esse fundo está a ser gerido pelo vice-presidente do Benfica.

  • Dono de fábrica que ardeu na Anadia diz que produção não vai ser afetada
    2:04
  • Saco azul do BES pagou a 106 pessoas e 96 avenças ocultas
    2:21

    Economia

    Pelo menos 106 pessoas receberam dinheiro da Espírito Santo Enterprises, a companhia offshore criada nas Ilhas Virgens Britânicas e que terá funcionado como um gigantesco saco azul do Grupo Espírito Santo. O jornal Expresso revelou os primeiros vinte nomes da lista, entre os quais estão Zeinal Bava, antigo CEO da PT, e Manuel Pinho, ex-ministro da economia do Governo de José Sócrates.

  • Tragédia em Vila Nova da Rainha aconteceu há uma semana
    7:18
  • Doze meses de polémicas, ameaças e promessas
    3:52