sicnot

Perfil

Economia

Juros da dívida de Portugal a caírem em todos os prazos para mínimos de sempre

 Os juros da dívida portuguesa estavam hoje a cair em todos os prazos em relação a quinta-feira, para mínimos de sempre, alinhados com os juros da Grécia, Irlanda, Itália e Espanha.

Francisco Seco

Hoje, cerca das 08:35 em Lisboa, os juros da dívida portuguesa a dez anos estavam a cair para 1,702%, um mínimo de sempre, contra 1,794% na quinta-feira.


No mesmo sentido, os juros a dois anos também estavam a recuar para 0,151%, um mínimo histórico, contra 0,163% na quinta-feira.


A cinco anos, os juros estavam a descer para 0,805%, contra 0,887% na quinta-feira. 


A 17 de maio de 2014, Portugal abandonou oficialmente o resgate sem qualquer programa cautelar.


O programa de ajustamento solicitado por Portugal à 'troika' (Comissão Europeia, Banco Central Europeu e Fundo Monetário Internacional), no valor de 78 mil milhões de euros, esteve em vigor durante cerca de três anos.


Os juros da dívida soberana da Irlanda estavam a descer a cinco e dez anos, bem como os de Itália e de Espanha em todos os prazos. 


Em relação aos juros da Grécia, estes estavam a cair a cinco e a dez anos, para valores em torno dos 12,3% e de 9,4%, respetivamente.


Lusa
  • Os números das eleições francesas
    0:50

    Eleições França 2017

    Os resultados definitivos mostram que Emmanuel Macron obteve 24% dos votos, na primeira volta das eleições francesas. Ficou quase três pontos à frente de Marine Le Pen, que conseguiu 21,3%. Os números oficiais, publicados pelo Ministério do Interior, dão ainda conta da taxa de abstenção: 22,2%, um ligeiro aumento face à primeira volta das presidenciais de 2012.

  • Estarão os portugueses a consumir vitamina D em excesso? 
    6:44
  • Investigadores criam nanovacina contra diferentes cancros

    Mundo

    Investigadores da Universidade do Texas, nos Estados Unidos, desenvolveram uma nanovacina (vacina administrada através de partículas microscópicas) contra diferentes cancros, como o da pele, do cólon e do reto, numa experiência com ratos, revela um estudo publicado esta segunda-feira.