sicnot

Perfil

Economia

PM da Grécia pede reunião especial com Juncker, Draghi, Merkel e Hollande

O primeiro-ministro grego, Alexis Tsipras, pediu hoje ao presidente do Conselho Europeu que organize uma reunião especial com os líderes da Comissão Europeia, BCE, França e Alemanha à margem da cimeira europeia de quinta-feira, informaram fontes governamentais. 

Reuters

Segundo as fontes, citadas pela agência EFE, Tsipras pediu a Donald Tusk que a reunião conte com a participação do presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, do presidente do Banco Central Europeu (BCE), Mario Draghi, da chanceler alemã, Angela Merkel, e do presidente francês, François Hollande. 

O objetivo do primeiro-ministro grego é colocar a questão da dívida grega ao mais alto nível político europeu.

Numa entrevista publicada na segunda-feira pelo diário Ethnos, Alexis Tsipras afirmou que o acordo alcançado no Eurogrupo "foi claro" e "deve ser respeitado".

"Se se continuar a boicotar o acordo de 20 de fevereiro, torna-se claro que é necessário um acordo ao mais alto nível político", disse.

Segundo a imprensa grega, as negociações técnicas com os representantes da Comissão, do BCE e do Fundo Monetário Internacional (FMI) estão a ser difíceis devido à imposição de exigências que Atenas considera não respeitarem o acordo alcançado no Eurogrupo
  • Reportagem Especial dá a voz aos despedidos da banca
    1:18
  • CEMGFA admite que várias armas roubadas estão em condições de ser usadas
    2:06

    Assalto em Tancos

    Afinal há várias armas roubadas em Tancos que estão em condições de ser utilizadas, sendo que apenas os lança-granadas-foguete estão obsoletos. Esta manhã, o general Pina Monteiro admitiu, no Parlamento, que a declaração que fez há duas semanas pode ter induzido em erro a opinião pública. O chefe do Estado-Maior General das Forças Armadas (CEMGFA) diz, ainda, que se houvesse indícios sobre colaboração do Exército neste caso, os suspeitos estariam presos.

  • Pais de Charlie Gard querem que o bebé morra em casa

    Mundo

    Depois de terem renunciado à batalha judicial para manterem o filho com vida, os pais do bebé britânico Charlie Gard desejam agora levar a criança para morrer em casa. O desejo foi revelado pelo advogado de Chris Gard e Connie Yates, numa audiência esta tarde, no Supremo Tribunal de Londres. Contudo, o hospital responsável pelo caso admite que os cuidados a Charlie não podem ser feitos em casa.