sicnot

Perfil

Economia

Juros da dívida de Portugal a cair a dois anos e a subir a cinco e dez anos

Os juros da dívida portuguesa estavam hoje a cair a dois anos e a subir a cinco e dez anos, em relação a terça-feira.              

(AP/ Arquivo)

(AP/ Arquivo)

Francisco Seco/AP

Hoje, cerca das 08:55 em Lisboa, os juros da dívida portuguesa a dez anos estavam a subir para 1,704%, contra 1,631% na terça-feira e o mínimo de sempre, de 1,560%, a 13 de março. 

Os juros a cinco anos também estavam a subir, para 0,943%, contra 0,893% na terça-feira e o mínimo de sempre de 0,823% a 12 de março.  

Em sentido contrário, os juros a dois anos estavam a recuar para 0,120%, contra 0,127% na terça-feira e o mínimo de sempre de 0,092% a 16 de março.

A 09 de março passado, o Banco Central Europeu (BCE) arrancou com um programa sem precedentes de compra de dívidas soberanas e privadas, que vai permitir injetar 60 mil milhões de euros por mês, até, pelo menos, setembro de 2016, na economia da zona euro na esperança de a redinamizar.        

O objetivo desta operação, denominada "Quantitative Easing" (QE), é criar um círculo virtuoso para a Economia: sob o efeito de uma forte procura as taxas de juro das obrigações deverão descer, forçando os bancos a aplicar o dinheiro noutros sítios, designadamente a conceder crédito às empresas e aos consumidores. 

Para os mercados, o QE marca uma mudança histórica da política monetária do BCE.  

Os bancos centrais nacionais, como o Bundesbank ou o Banco de Portugal, entre os outros dos Estados-membros, serão os principais executantes do QE, já que está previsto que façam 92% das compras. 

Os efeitos do programa fizeram sentir-se por antecipação há várias semanas nas taxas de juro das dívidas soberanas, que evoluem em sentido inverso ao da procura e têm renovado mínimos diariamente. Algumas das taxas tornaram-se negativas nos prazos mais curtos, ou seja, os investidores estão dispostos a pagar para deter estes títulos considerados muito seguros.   

A 17 de maio de 2014, Portugal abandonou oficialmente o resgate sem qualquer programa cautelar.

O programa de ajustamento solicitado por Portugal à 'troika' (Comissão Europeia, Banco Central Europeu e Fundo Monetário Internacional), no valor de 78 mil milhões de euros, esteve em vigor durante cerca de três anos.

Os juros da dívida soberana da Irlanda estavam a subir a cinco e dez anos, bem como os de Itália e de Espanha que estavam a subir em todos os prazos. 

Em relação aos juros da Grécia, estes estavam a subir cinco e dez anos, para valores em torno dos 15,7% e de 10,8%, respetivamente.



Juros da dívida soberana em Portugal, Grécia, Irlanda, Itália e Espanha cerca das 08:55:



           2 anos... 5 anos... 10 anos 

 

Portugal 



18/03..... 0,120......0,943....1,704

17/03..... 0,127......0,893....1,631



Grécia 



18/03..... n disp....15,712...10,856

17/03..... n disp....15,696...10,812



Irlanda



18/03......n disp......0,270....0,826

17/03......n disp......0,265....0,821



Itália



18/03......0,264......0,627....1,322

17/03......0,236......0,579....1,268

 

Espanha



18/03......0,143......0,614....1,294

17/03......0,121......0,578....1,251



Fonte: Bloomberg Valores de 'bid' (juros exigidos pelos investidores para comprarem dívida) que compara com fecho da última sessão.


Lusa

  • Manuel Delgado demitiu-se devido a "grave violação da privacidade"

    País

    O ex-secretário de Estado da Saúde diz que apresentou a demissão para "não perturbar nem criar qualquer tipo de embaraço ao normal funcionamento do Governo". Num comunicado, Manuel Delgado esclarece que foi remunerado pelo trabalho de consultor na Raríssimas "muito antes" da entrada no Governo e acrescenta que respeitou na íntegra todo o quadro legal e ético.

  • O que vai mudar nos recibos verdes
    2:55

    Economia

    Os trabalhadores independentes vão descontar menos para a Segurança Social já no próximo ano. A taxa vai descer dos 29,6% por cento para os 21,4%. A descida será compensada por um aumento das contribuições pagas pelos patrões. Há também alterações em caso de desemprego e o subsídio de doença passa a ser pago ao fim de 10 dias em vez de 31.

  • Tripulantes da TAP acusam companhia de desrespeitar compromissos
    3:16

    Economia

    O Sindicato que representa os tripulantes da TAP acusa a empresa de estar a violar a lei. A companhia aérea portuguesa denunciou unilateralmente o acordo de empresa com os tripulantes e apresentou novas condições, que o sindicato considera indignas. Diz que os tripulantes fizeram esforços pela companhia no verão e que agora estão a ser desrespeitados.

  • Uma "Árvore da Esperança" pelas vítimas dos fogos
    2:01
  • Bebé nasce com coração fora do peito e sobrevive
    2:06
  • Zapatou volta a eleger os melhores vídeos da internet
    6:28