sicnot

Perfil

Economia

Metro de Lisboa abre hoje às 10:00 devido à segunda greve da semana

As estações do Metropolitano de Lisboa abrem hoje apenas às 10:00, devido à segunda greve parcial que os trabalhadores da empresa realizam esta semana, informou a empresa.

A greve parcial dos trabalhadores decorre entre as 06:30, hora normal de abertura das estações, e as 09:30, devendo a abertura das estações e a circulação das composições acontecer a partir das 10:00, divulgou a empresa, em comunicado.

A paralisação, convocada por diversos sindicatos, é a segunda greve parcial desta semana, o Metro esteve encerrado na passada segunda-feira até às 10:00 - e a terceira realizada este ano (uma outra foi realizada, nos mesmos moldes, a 23 de fevereiro).

De acordo com a Federação dos Sindicatos de Transportes e Comunicações (Fectrans), entre as razões para a greve estão "a falta de diálogo, quer por parte da empresa quer do Governo, para resolver os problemas concretos de trabalho da maior parte das categorias profissionais, a redução cada vez mais acentuada do número de trabalhadores" e "a defesa da empresa enquanto empresa pública".

Devido à greve, a Carris vai reforçar o número de autocarros nos trajetos servidos pelas carreiras 726 (Sapadores-Pontinha), 736 (Cais do Sodré-Odivelas), 744 (Marquês de Pombal-Moscavide) e 746 (Marquês de Pombal-Estação da Damaia), que coincidem com eixos servidos pelo Metro, acrescentou o Metropolitano, em comunicado.



RCS // PMC

Lusa/Fim

  • Três letras de Zeca Afonso

    Cultura

    No dia em que se assinalam 30 anos da morte de Zeca Afonso, Raquel Marinho, jornalista da SIC e divulgadora de poesia portuguesa contemporânea, escolhe três letras do cantor e autor para dizer, em forma de homenagem.

    Raquel Marinho

  • Cunhado do Rei de Espanha em liberdade sem caução

    Mundo

    Inaki Urdangarin vai mesmo aguardar o desenrolar do recurso em liberdade na Suíça, onde o marido da Infanta Cristina tem residência oficial e onde terá de se apresentar às autoridades uma vez por mês, para além de estar obrigado a comunicar qualquer deslocação fora da Europa. De fora fica ainda o pagamento da caução de 200 mil euros pedida pelo Ministério Público espanhol.