sicnot

Perfil

Economia

Sindicato dos Trabalhadores do Espetáculo entrega recibo verde no Ministério

O Sindicato dos Trabalhadores do Espetáculo (STE) entrega hoje à tarde, no Ministério das Finanças, em Lisboa, um recibo verde para exigir o fim dos recibos verdes para estes trabalhadores.

(Reuters/ Arquivo)

(Reuters/ Arquivo)

© Jose Manuel Ribeiro / Reuters

O facto de a maioria dos trabalhadores do espetáculo trabalhar com "falsos" recibos verdes - já que estão sujeitos a um horário de trabalho e a uma hierarquia - é outro dos motivos que leva os trabalhadores a protestarem, disse à Lusa o sindicalista João Barreiros.

 

Acrescentou que metade dos cerca de 1.200 sócios do STE trabalha com recibos verdes.

 

A maior parte das empresas de espetáculo, de som e de luz continuam a funcionar com recibos verdes, mas se tudo estivesse dentro da legalidade os trabalhadores deviam estar a trabalhar com contrato, referiu.

 

"E estes trabalhadores muitas das vezes acumulam dívidas à segurança social, já que têm que a pagar mesmo quando estão sem trabalhar", sublinhou João Barreiros.

 

O sindicalista acrescentou que a iniciativa se insere na semana de luta da Interjovem, a estrutura jovem da CGTP/In, que culmina com uma marcha da juventude, no próximo sábado, em Lisboa.

 

Lusa

  • Lei que permite a entrada de animais em espaços de restauração gera dúvidas
    2:23

    País

    A lei que permite a entrada de animais de companhia em estabelecimentos de restauração, que entrou hoje em vigor, está a gerar dúvidas para os proprietários. Até ao momento são poucos os estabelecimentos que aderiram e a previsão é para que assim continue. A DECO questionou 1800 pessoas sobre a presença dos animais nos restaurantes e apenas 25% votou a favor.

  • "Isto é a demagogia à solta"
    0:45

    Opinião

    Quem o diz é Luís Marques Mendes a propósito da aprovação esta semana da lei do CDS-PP que elimina o adicional do imposto sobre os combustíveis. O comentador da SIC critica a oposição por ter levado a votação uma lei inconstitucional e acusa ainda os parceiros de Governo de deslealdade. 

    Luís Marques Mendes