sicnot

Perfil

Economia

DGO divulga hoje execução orçamental até fevereiro

A Direção-Geral do Orçamento (DGO) divulga hoje a síntese de execução orçamental em contas públicas até fevereiro de 2015, ano em que o défice terá de baixar para os 2,7% do Produto Interno Bruto (PIB) em contabilidade nacional.

No Orçamento do Estado para 2015 está prevista a redução do défice para 2,7% do PIB e o Governo assume como "ponto de honra" tirar Portugal do Procedimento de Défice Excessivo este ano, ou seja, terminar o ano com um défice abaixo dos 3% do PIB. 

No primeiro mês do ano, o saldo das administrações públicas registou um excedente de 549 milhões de euros, um saldo positivo que é, no entanto, inferior se excluindo as Entidades Públicas Reclassificadas (EPR) este ano.

No universo comparável, o saldo das administrações públicas em janeiro foi 377,2 milhões de euros, menos 288,5 milhões do que o excedente de 665,7 milhões de euros, registado em janeiro do ano passado.

Também o saldo primário das administrações públicas, que exclui os encargos com os juros da dívida pública, registou um excedente de 689,2 milhões de euros. Sem as EPR, o excedente do saldo primário foi de 512,3 milhões de euros, menos 262,1 milhões do que o verificado no primeiro mês de 2014.

Já no que diz respeito aos impostos, o Estado arrecadou, em janeiro, 2.805,5 milhões de euros, menos 5,2% do que no mesmo mês do ano passado, devido a fatores excecionais que a DGO admite que tenham sido compensados nos próximos meses.

Os números divulgados pela DGO são apresentados em contabilidade pública, ou seja, têm em conta o registo da entrada e saída de fluxos de caixa, e a meta do défice fixada é apurada pelo Instituto Nacional de Estatística (INE) em contas nacionais, a ótica dos compromissos, que é a que conta para Bruxelas. 

O INE prevê divulgar o valor do défice de 2014 em contabilidade nacional esta semana.


Lusa

  • Família Aveiro na inauguração do Aeroporto Cristiano Ronaldo
    2:34

    País

    A decisão de dar o nome de Cristiano Ronaldo ao aeroporto da Madeira divide opiniões. Contudo, na cerimónia de inauguração desta quarta-feira só se ouviram aplausos. Os madeirenses juntaram-se à porta do aeroporto para ver e receber o melhor jogador do mundo. Também a família do jogador esteve na Madeira para apoiar Ronaldo.

  • A (polémica) mudança de nome do aeroporto da Madeira
    2:00

    País

    O aeroporto da Madeira é desde esta quarta-feira aeroporto Cristiano Ronaldo. O Presidente da República e o primeiro-ministro estiveram juntos na homenagem ao futebolista. A alteração não é consensual entre os madeirenses.

  • O busto de Ronaldo que virou piada no mundo inteiro
    2:04

    País

    No dia em que foi formalizado o novo nome do aeroporto da Madeira, foi também conhecido o busto em bronze de Cristiano Ronaldo e que, desde logo, começou a provocar reações em todo o mundo. As críticas da imprensa internacional não são propriamente positivas e a internet aproveitou para dar contornos humorísticos à criação.

  • Os seus descontos para a Segurança Social estão em ordem?
    7:50
    Contas Poupança

    Contas Poupança

    4ª FEIRA JORNAL DA NOITE

    Os portugueses estão cada vez mais preocupados com a reforma. O valor que se vai receber depende dos descontos que se fizerem para a Segurança Social. Mas há contabilistas que cometem burlas com o dinheiro dos clientes, há esquecimentos, e empresas que deixam de pagar as contribuições por falta de verbas. O Contas Poupança explica-lhe como pode ver neste instante se todos os seus descontos estão nos cofres da Segurança Social, e corrigir algum erro antes que seja tarde demais.

  • "Não há razão para fingirmos que hoje é um dia feliz"
    1:55

    Brexit

    Depois de receber esta quarta-feira a notificação do Brexit, o presidente do Conselho Europeu antecipou negociações difíceis. Donald Tusk diz que agora é preciso minimizar os prejuízos para os cidadãos europeus e para as empresas.

  • "Não há recuo possível"
    2:30

    Brexit

    O processo de saída do Reino Unido da União Europeia começou esta quarta-feira, com a ativação do artigo 50.º do Tratado de Lisboa. A notificação de Theresa May foi feita por carta a Donald Tusk e a primeira-ministra disse que não recuo possível. O processo de negociações levará dois anos e a saída do Reino Unido da União Europeia ficará concluída em 2019.