sicnot

Perfil

Economia

Confiança dos consumidores em máximos de 13 anos

O índice de confiança dos consumidores registou, em março, o valor mais elevado desde abril de 2002, refletindo essencialmente a melhoria das perspetivas quanto à evolução do desemprego, revelou hoje o Instituto Nacional de Estatística (INE).

© Jose Manuel Ribeiro / Reuters

Também o indicador económico aumentou em março (0,6) após ter estabilizado em fevereiro nos 0,3 pontos.

O indicador de confiança dos consumidores continuou em março em valores negativos (-19,2 face a -21,2 em fevereiro), mas manteve a trajetória ascendente observada desde 2013.

As opiniões das famílias sobre a evolução passada e futura da situação económica do país melhoraram significativamente em março, atingindo os valores mais elevados desde junho e março de 2000, respetivamente.

As opiniões sobre as perspetivas de compra de bens também recuperaram o movimento ascendente desde o início de 2013, atingindo o valor mais elevado desde fevereiro de 2007.

Quanto às empresas, o indicador de confiança aumentou na indústria transformadora, na construção e obras públicas e no comércio, mas diminuiu nos serviços, devido ao agravamento das expetativas de evolução da procura, já que as opiniões sobre a evolução da carteira de encomendas e sobre a atividade da empresa recuperaram ligeiramente.



Lusa
  • Quando se pode circular pela esquerda? A GNR explica (e fiscaliza)
    5:46

    Edição da Manhã

    A regra aplica-se a autoestradas e outras vias com esse perfil mas dentro das localidades há exceções. A Guarda Nacional Republicana está a promover em todo o território nacional várias ações de sensibilização e fiscalização no sentido de prevenir e reprimir a circulação de veículos pela via do meio ou da esquerda quando não exista tráfego nas vias da direita. O major Paulo Gomes, da GNR, esteve na Edição da Manhã. 

  • O pedido de desculpas de Dijsselbloem
    2:12

    Mundo

    O Governo português continua a mostrar a indignação que diz sentir perante as declarações do presidente do Eurogrupo. O ministro dos Negócios Estrangeiros português garante que com Dijsselbloem "não há conversa possível". Jeroen Dijsselbloem começou por recusar pedir desculpa mas depois cedeu perante a onda de indignação.

  • A primeira vez do Sr. Árbitro
    12:41