sicnot

Perfil

Economia

Bruxelas já foi notificada sobre OPA do Caixabank ao BPI

A Comissão Europeia já recebeu a notificação da Oferta Pública de Aquisição (OPA) do Caixabank sobre o BPI, tendo agora até maio para se pronunciar sobre a operação.

© Hugo Correia / Reuters

Segundo consta no portal da Direcção-Geral da Concorrência, que tem de dar 'luz verde' à operação, a notificação sobre a OPA foi feita esta terça-feira, 07 de abril, devendo haver uma decisão no máximo a 13 de maio.

A notificação à Comissão Europeia faz parte dos procedimentos normais neste tipo de operações, de modo a Bruxelas poder avaliar o impacto da operação no mercado e na concorrência. Neste caso, para o avanço do processo é necessária uma decisão de não oposição de Bruxelas.

Em fevereiro, o catalão CaixaBank, maior acionista do BPI, com 44,1% do capital, anunciou a intenção de lançar uma OPA sobre o banco liderado por Fernando Ulrich.

Segundo o anúncio preliminar, o Caixabank condiciona a oferta à eliminação do limite de 20% dos direitos de voto atualmente existente no BPI (apesar dos 44% de capital social que detém, o Caixabank vota apenas com 20%) e a que a oferta supere os 50% do capital.

O CaixaBank propõe adquirir a maioria do capital do BPI por 1,329 euros por ação.

O banco catalão é o maior acionista do BPI, contando com quatro membros no Conselho de Administração, seguindo-se a empresária angolana Isabel dos Santos, através da Santoro, com 18,6% (que propôs uma eventual fusão entre o BPI e BCP) e o Grupo Allianz, com 8,4%.



Lusa
  • Sporting adiado por mais dois dias
    1:41
  • Pecado da gula ameaça maior anfíbio do mundo

    Mundo

    O maior anfíbio do mundo está em sério risco de extinção. Iguaria muito apreciada no Oriente, a salamandra-gigante-da-China já praticamente desapareceu do seu habitat natural, concluiu uma pesquisa realizada durante quatro anos. Em contraste, milhões de animais são reproduzidos em cativeiro e têm como destino restaurantes de luxo.

  • Gilberto Gil cancela atuação em Israel

    Cultura

    O músico brasileiro Gilberto Gil cancelou a atuação que tinha marcada para Telavive, em Israel, no dia 4 de julho, na sequência de protestos em Gaza durante os quais o exército daquele país matou 60 palestinianos.

  • Gases tóxicos expelidos pelo Kilauea ameaçam a população no Havai
    1:51