sicnot

Perfil

Economia

PS quer repor 35 horas de trabalho na função pública e mais isenções nas taxas moderadoras

O PS vai defender no debate parlamentar sobre natalidade, na quarta-feira, a reposição do horário de trabalho de 35 horas na função pública e a ponderação do número de filhos como fator de isenção de taxas moderadoras.

Estas são duas propostas contidas num conjunto de oito diplomas (seis projetos e duas resoluções) do PS, que serão alvo de discussão na generalidade, na Assembleia da República, em conjunto com nove diplomas da maioria PSD/CDS, 12 do PCP, três de "Os Verdes" e seis do Bloco de Esquerda, num debate sobre medidas para aumentar a natalidade.

Em conferência de imprensa, a vice-presidente da bancada socialista Sónia Fertuzinhos afirmou que, do ponto de vista político, o principal objetivo do PS é debater as consequências para as famílias das políticas seguidas pelo atual Governo em áreas consideradas decisivas para a natalidade: Emprego, salários e estabilidade nas perspetivas de vida.

Sónia Fertuzinhos não especificou como o PS vai votar os diplomas da maioria PSD/CDS sobre natalidade, alegando que é necessário "ver" o que se passará no debate de quarta-feira, mas considerou que sociais-democratas e democratas-cristãos pretendem omitir as consequências das políticas seguidas pelo executivo.

"A cinco meses das eleições legislativas, depois de uma política de austeridade expansionista que aumentou drasticamente o desemprego (sobretudo jovem), depois de um ajustamento feito com base na desvalorização dos salários, esmagando os rendimentos das famílias, esta maioria PSD/CDS pretende agora criar a ilusão de que nada se passou para trás", acusou a vice-presidente do Grupo Parlamentar do PS.

Sónia Fertuzinhos referiu que o PS vai propor "simbolicamente a reposição do horário de trabalho de 35 horas na função pública e a inclusão da negociação do banco individual de horas no âmbito da contratação coletiva, tendo em vista reforçar a capacidade para acordos mais equilibrados e mais justos, quer para empregadores, quer para trabalhadores".

"O PS apresenta um projeto de resolução a desafiar a maioria PSD/CDS para que, pelo menos a cinco meses das eleições, se ponha a funcionar uma estrutura governamental que acompanhe as políticas de família, como sempre antes existiu. Na área da saúde, queremos também que o número de filhos conte para o cálculo da isenção no pagamento de taxas moderadoras", apontou a deputada socialista.

Ainda de acordo com a dirigente da bancada socialista, o PS apresenta ainda uma proposta "para que a maioria PSD/CDS possa corrigir uma decisão que tomou há pouco tempo, em que as famílias deixam de ter desconto pelo preço que pagam em creches pelo segundo e mais filhos - mais uma medida contrária à natalidade".

"Na área da educação, o PS propõe de forma simbólica, mas também significativamente, medidas como a redinamização do esquema de empréstimo de manuais escolares, numa lógica de apoio ao acesso de jovens e crianças ao estudo. O debate de quarta-feira tem de servir para que cada bancada apresente a sua estratégia para promover condições para um aumento da natalidade, mas o PS quer o que o debate também sirva para confrontar a maioria PSD/CDS e o Governo com as opções que tomaram nos últimos quatro anos", insistiu Sónia Fertuzinhos.

Lusa

  • Prisão preventiva para marroquino suspeito de apoiar o Daesh

    País

    O juiz do Tribunal Central de Instrução Criminal impôs esta quinta-feira prisão preventiva ao cidadão marroquino, detido na Alemanha e entregue a Portugal, suspeito de adesão e apoio ao grupo extremista Daesh e recrutamento e financiamento ao terrorismo.

  • "A isto chama-se pura hipocrisia"
    1:13

    Caso CGD

    Pedro Passos Coelho classifica a atuação do Governo na gestão da Caixa Geral de Depósitos como um "manual de cinismo político insuportável", declarações feitas pelo líder do PSD durante a reunião do Conselho Nacional em Lisboa.

  • O momento em que Trump quis ser um camionista

    Mundo

    O Presidente norte-americano Donald Trump reuniu-se esta quinta-feira com representantes da indústria de camionagem. Não é apenas do encontro que lhe falamos, mas principalmente da invulgar receção feita por Trump, que entrou para um camião, fingiu que o conduzia e buzinou... em pleno jardim da Casa Branca.

  • FBI investiga possível campanha de espiões russos contra Hillary
    0:57

    Mundo

    A suspeita de ligação entre a equipa de Donald Trump e operacionais russos está a aumentar. A CNN diz que a equipa do Presidente do Estados Unidos da América se coordenou com os russos para atingir Hillary Clinton. O FBI está a investigar registos telefónicos, de viagens, relatórios e transações para offshores.

  • Mais de 20 milhões estão a morrer à fome em África

    Mundo

    África enfrenta a maior crise desde 1945, com mais de 20 milhões de pessoas a morrer de fome em três países, Sudão do Sul, Somália e Nigéria, disse esta quinta-feira um responsável do Programa Alimentar Mundial das Nações Unidas.

  • Jovem violada em direto no Facebook não se sente em segurança

    Mundo

    A jovem de 15 anos que foi abusada sexualmente por cinco ou seis homens durante um vídeo em direto para o Facebook está a receber tratamento. A mãe da jovem deu uma entrevista, na qual disse que a filha já não se sente em segurança na sua vizinhança, depois de receber ameaças na internet.

  • Menina "rouba" chapéu ao Papa
    0:27

    Mundo

    Estella Westrick tem apenas três anos, mas já conseguiu chegar aos jornais de todo o mundo, depois de "roubar" o chapéu do Papa. Durante uma visita da família na quarta-feira ao Vaticano, a criança - que não parece estar muito contente no vídeo - foi pegada ao colo por um dos funcionários do Vaticano, que a levou depois até ao Papa. Nesta altura, Estella aproveitou para tirar o solidéu episcopal, arrancando gargalhadas de toda a gente, especialmente do Papa Francisco.

  • O edifício mais longo do mundo

    Mundo

    Se pensa que já viu tudo em relação aos edifícios mais longos e complexos do mundo, pense duas vezes. O edifício mais longo do mundo pode estar prestes a chegar e promete fazer de Nova Iorque uma cidade ainda mais atrativa.