sicnot

Perfil

Economia

Trabalhadores ferroviários concentram-se hoje contra "desmembramento do setor"

Os representantes dos trabalhadores das empresas ferroviárias concentram-se hoje, em Lisboa, para alertar para o "desmembramento do setor", no dia em que se assinalam 40 anos da nacionalização da CP -- Comboios de Portugal. 

MIGUEL A. LOPES

Aproveitando a realização do Congresso Ferroviário no Instituto Superior Técnico (IST), a Federação dos Sindicatos de Transportes e Comunicações (Fectrans) promove uma manifestação em frente ao instituto contra a privatização da CP Carga e da EMEF - Empresa de Manutenção de Equipamento Ferroviário, a fusão da Refer com a Estradas de Portugal e a concessão de linhas da CP. 

"O nosso objetivo é denunciar o que está em causa com a política do Governo, de desmembrar um setor, que devia ser uma aposta", adiantou Abílio Carvalho, da direção da Fectrans, à Lusa. 

À concentração, agendada para as 14:00, juntam-se os reformados da ferrovia para reivindicar a reposição do direito ao transporte gratuito, retirado pelo Orçamento do Estado para 2013. 

Na passada quinta-feira, o Governo aprovou em Conselho de Ministros a fusão da Estradas de Portugal e da Refer na Infraestruturas de Portugal, que será uma realidade a 01 de maio ou a 01 de junho, dependendo da promulgação do diploma pela Presidência da República. 

Duas semanas antes, o Governo tinha aprovado os processos de privatização da CP Carga e da EMEF, que deverão estar concluídas até ao final da legislatura, depois de um longo processo negocial com Bruxelas sobre as ajudas do Estado às duas empresas. 



  • Passos acusa Governo de "sacudir água do capote"

    País

    O líder do PSD, Pedro Passos Coelho, acusou este sábado o Governo de "sacudir a água do capote" para não assumir a responsabilidade pelo que está a ser decidido, usando uma política de comunicação que considerou ser um "embuste".

  • Quase 200 polícias solidários com agentes acusados
    2:29

    País

    Perto de 200 polícias manifestaram-se este sábado na sede da PSP em Alfragide, em solidariedade com os 18 agentes acusados no processo Cova da Moura. O Sindicato Nacional de Polícia associou-se ao protesto e diz existir um aproveitamento político do caso.

  • Polícias ameaçam com protestos no arranque do campeonato
    1:24

    País

    Os agentes da PSP ameaçam boicotar a presença nos jogos do campeonato da Primeira e Segunda ligas que começam em 15 dias. Os agentes colocam em causa o atual modelo de policiamento no futebol, que faz com que muitos dos profissionais da PSP trabalhem sem remuneração em dia de folga.