sicnot

Perfil

Economia

Católica melhora previsão de crescimento da economia em 2015 para os 2,2%

A Universidade Católica reviu em alta as estimativas para a economia portuguesa em 2015, antecipando um crescimento de 2,2% este ano, mas alertou para uma "política orçamental muito passiva" que pode ter "consequências negativas no défice".

© Rafael Marchante / Reuters

Na folha trimestral de conjuntura, hoje divulgada, o Núcleo de Estudos sobre a Conjuntura da Economia Portuguesa (NECEP), da Universidade Católica, melhorou a previsão de crescimento económico para este ano dos 1,9% para os 2,2% e, considerando apenas o primeiro trimestre de 2015, previu que o Produto Interno Bruto (PIB) tenha crescido 0,9% em cadeia e 2,1% em termos homólogos.

No entanto, o NECEP alerta que este crescimento pode "estar a ser suportado por uma política orçamental muito passiva, com consequências negativas no défice que obriguem a ajustamentos orçamentais novamente agressivos durante a maior parte do próximo ciclo político".

O NECEP refere que Portugal "está agora numa fase clara de recuperação e já estará a beneficiar da descida acentuada do preço do petróleo, da desvalorização do euro e da passividade orçamental de 2015".

Para os economistas, o desempenho da economia em 2015 "deverá ser influenciado positivamente pelo ambiente externo e interno, que se conjugam agora de forma muito favorável ao crescimento do produto".

De acordo com a nota hoje divulgada, a melhoria das previsões do NECEP deve-se sobretudo ao "forte crescimento esperado para o primeiro trimestre", mas também à "inexistência de consequências óbvias da crise do BES no andamento da economia portuguesa".

Por outro lado, acrescentam, a melhoria nas condições de financiamento "não parece ter sido ainda suficiente para iniciar uma recuperação sólida do investimento", embora este já esteja a crescer desde o segundo trimestre de 2014.

Além disso, os economistas da Católica apontam "dois sinais adversos" a estas projeções: "a inexistência de sinais inequívocos de uma forte recuperação do investimento" e "a existência de sinais contraditórios no mercado de trabalho que sugerem que o desemprego pode ter subido ligeiramente no primeiro trimestre do ano".

Para 2016, o NECEP também melhorou as estimativas de crescimento económico, antecipando um crescimento de 1,9% no próximo ano (contra os 1,8% anteriormente previstos), justificando que "os efeitos favoráveis de 2015 se deverão prolongar no próximo ano".

Nas últimas previsões apresentadas pelo Governo para este ano, conhecidas em outubro de 2014 aquando da apresentação da proposta de Orçamento do Estado para 2015, o executivo apontava para um crescimento de 1,5% em 2015.

Quanto às previsões para 2016, o Governo antecipou no Documento de Estratégia Orçamental (DEO), apresentado em abril do ano passado, que a economia portuguesa deveria crescer 1,7% no próximo ano.


Lusa
  • Marco Silva vai treinar o Watford

    Desporto

    O treinador português Marco Silva assinou contrato com o Watford, da Liga Inglesa. O emblema que terminou a última Premier League na 17ª posição, a última antes dos lugares de descida, ganhou assim a corrida ao Crystal Palace e ao FC Porto, que também tentaram contratar o técnico.

  • "A maior conquista foi construir estabilidade"
    2:14

    Economia

    António Costa voltou esta sexta-feira a garantir que a partir de junho nenhum subsídio de desemprego será inferior a 421 euros por mês. O primeiro-ministro falava nas jornadas parlamentares do PS, onde afirmou que a estabilidade é a maior conquista deste Governo.

  • Com a multiplicação de bons indicadores económicos e financeiros do país, multiplicam-se os elogios ao Governo e declaram-se mortas e enterradas as políticas do passado recente, nomeadamente a da austeridade. Nada mais errado. O que os bons resultados agora alcançados provam definitivamente é que a austeridade resolveu de facto os problemas das contas públicas e, mais do que isso, contribuiu para o crescimento económico que foi garantido por reformas estruturais e pela reorientação do modelo económico.

    José Gomes Ferreira

  • Raízes de ciência e rebentos de esperança
    14:14
  • Portugal pode ser atingido por longos períodos de seca

    País

    Portugal e Espanha podem ser atingidos até 2100 por 'megasecas', períodos de seca de dez ou mais anos, segundo os piores cenários traçados num estudo da universidade britânica Newcastle, que tem a participação de uma investigadora portuguesa.

  • G7 reforça compromisso na luta contra o terrorismo
    2:11
  • Uma foto para a história

    Mundo

    As mulheres dos líderes mundiais que se reúnem nas cimeiras da NATO posam para a fotografia oficial das primeiras-damas. A deste ano é histórica. Pela primeira vez, há um marido de um primeiro-ministro entre as nove mulheres. Trata-se de Gauthier Destenay, casado com o líder do Luxemburgo.