sicnot

Perfil

Economia

Hospitais podem poupar 45 milhões/ano com reutilização de dispositivos médicos

A Ordem dos Médicos defende uma maior reutilização de dispositivos médicos e cirúrgicos de uso único, considerando que são seguros para doentes e profissionais e que podem permitir poupanças anuais de 45 milhões de euros aos hospitais públicos. 

© Keith Bedford / Reuters

"A Ordem pretende que nos setores em que seja possível reduzir os custos sem pôr em causa a qualidade que isso seja efetivado. Um dos setores tem a ver com o reprocessamento de dispositivos médicos. É possível alargar o âmbito do reprocessamento, reduzindo os custos da saúde e sem pôr em causa a qualidade", afirmou o bastonário dos Médicos à agência Lusa.

 

A Ordem vai realizar na quinta-feira um debate sobre a reutilização dos dispositivos médicos (como máquinas de sutura, tesouras de corte ou dispositivos cardíacos) considerando que esta prática em Portugal ainda é "muito restrita e está condicionada por um jogo complexo de interesses".

 

"Há ainda um grande receio e uma falta de debate, condicionado por interesses, na questão do reprocessamento", referiu o bastonário José Manuel Silva.

 

Em maio de 2013, o Ministério da Saúde publicou em Diário da República um despacho sobre os dispositivos médicos de uso único reprocessados, com o objetivo de "estabelecer condições adequadas de segurança que permitam alcançar poupanças indispensáveis".

 

Na altura, a Associação dos Enfermeiros de Sala de Operações em Portugal contestou este reprocessamento de dispositivos de dose única, considerando-o um "atentado à saúde pública".

 

O bastonário salientou que os médicos estão convictos de "que é possível alargar o reprocessamento, mantendo ou até melhorando a qualidade", com o argumento de que há razões técnicas e científicas para afirmar a segurança do processo.

 

"Nós atualmente transplantamos órgãos, não há nenhuma razão técnica que possa limitar, em circunstâncias bem definidas, a reutilização/reprocessamento de dispositivos médicos", declarou José Manuel Silva.

 

 O reprocessamento pode até trazer mais segurança, insiste o bastonário, dado que tem uma "garantia de funcionamento exatamente pelo facto de [o dispositivo] já ter sido usado e demonstrado que não falha".

 

Para a Ordem, a decisão de utilização única de um dispositivo, que geralmente cabe à própria indústria, "visa mais os interesses de quem o produz do que motivações técnicas".

 

Depois de uma utilização dos dispositivos, eles são enviados para reprocessamento numa fábrica que tem de estar certificada. São retirados todos os contaminantes, depois os dispositivos são limpos, esterilizados, selados e passíveis de rastreabilidade.

 

Esta prática é já seguida, por exemplo, no hospital de São João, no Porto.

 

O reprocessamento de dispositivos médicos e cirúrgicos de uso único é corrente noutros países, como o caso dos Estados Unidos, onde 60% dos seus cinco mil hospitais já recorrem a este método.

 

 

Lusa

  • Primeiro-ministro agradece sacrifícios dos portugueses
    0:46

    Economia

    O primeiro-ministro diz que os números do INE em relação ao défice de 2016 são prova de que havia uma alternativa e deixou uma palavra de agradecimento aos portugueses. As declarações de António Costa foram feiras aos jornalistas em Roma, onde se encontra para assinalar no sábado os 60 anos da União Europeia.

  • Jerónimo diz que UE vai continuar a causar constrangimentos a Portugal
    0:35

    Economia

    Esta sexta-feira na inauguração de uma exposição em Almada que denuncia a precariedade dos postos de trabalho, Jerónimo de Sousa falou sobre o défice de 2016. Para o secretário-geral do PCP, apesar do Governo ter ido além do exigido por Bruxelas, a União Europeia vai continuar a impedir Portugal de crescer.

  • Enfermeiros desconvocam greve

    País

    O Sindicato dos Enfermeiros Portugueses (SEP) desconvocou esta sexta-feira a greve geral nacional marcada para quinta e sexta-feira da próxima semana, anunciou o presidente da estrutura, justificando com os compromissos assumidos pelo Ministério da Saúde.

  • Pai do piloto da Germanwings defende inocência do filho

    Mundo

    O pai de Andreas Lubitz declarou esta sexta-feira que o filho não é o responsável pelo embate do avião da Germanwings contra um local montanhoso, que fez 150 mortos. O Ministério Público alemão concluiu em janeiro que o incidente em 2015 foi apenas da responsabilidade do piloto.

  • Probido fumar na praia? Não-fumadores aplaudem ideia
    1:33

    País

    O Comissário Europeu da Saúde defende uma proibição total do consumo de tabaco no espaço público. Esta e outras medidas foram defendidas, ontem, na Conferência Tabaco e Saúde da Liga Portuguesa Contra o Cancro. 

  • Visitar o Titanic vai custar 97 mil euros por pessoa

    Mundo

    Uma viagem a bordo do Titanic em 1912 era considerada uma viagem de luxo. Mais de 100 anos depois, continua a ser um luxo visitar o Titanic. Em 2018, vai ser possível conhecer os restos daquele que em tempos foi o maior navio do mundo. Contudo, nem todos vão poder fazê-lo, pois a viagem irá custar cerca de 97 mil euros por pessoa.