sicnot

Perfil

Economia

Bruxelas vai "examinar cuidadosamente" pretensão portuguesa de saldar dívida ao FMI

A Comissão Europeia vai "examinar cuidadosamente" a pretensão do Governo português de amortizar antecipadamente toda a dívida ao Fundo Monetário Internacional (FMI), da qual ainda não foi oficialmente informada, disse hoje à Lusa uma porta-voz do executivo comunitário.

© Yuri Gripas / Reuters

"Ainda não recebemos nesta fase qualquer informação oficial das autoridades portuguesas. Vamos examinar cuidadosamente a proposta de amortizar parcial ou totalmente o que resta dos empréstimos recebidos do FMI", disse a porta-voz dos Assuntos Económicos da Comissão Europeia à Lusa, quando questionada sobre a intenção anunciada na passada sexta-feira pelo primeiro-ministro.

Pedro Passos Coelho revelou na sexta-feira que, já no quadro do programa de estabilidade, o Governo decidiu submeter aos parceiros europeus um novo pedido de amortização antecipada de toda a restante dívida ao FMI, depois de em fevereiro passado já ter solicitado (e visto aprovado pelo Eurogrupo e Ecofin) o pagamento antecipado de cerca de metade (14 mil milhões de euros) do empréstimo que recebeu da instituição liderada por Christine Lagarde.

O pagamento antecipado de empréstimos do FMI necessita do aval dos Estados-membros, pois estes terão que aceitar renunciar a uma cláusula nos contratos de empréstimos concedidos no quadro do programa de assistência financeira, que prevê que reembolsos antecipados tenham que ser proporcionais entre todos os credores (e Portugal só tenciona, mais uma vez, pagar mais cedo os empréstimos do FMI).

A Comissão Europeia lembra que deu "apoio total" ao anterior pedido das autoridades portuguesas de pagar antecipadamente parte dos empréstimos em dívida para com o FMI, em fevereiro passado, num processo entretanto já concluído e que Bruxelas espera que tenha "um impacto positivo na sustentabilidade das finanças públicas de Portugal".

Relativamente ao novo pedido, que terá que ser analisado pelos Estados-membros, a Comissão aguarda então uma notificação oficial de Lisboa, que analisará "cuidadosamente" antes de se pronunciar.


Lusa
  • A morte das sondagens foi ligeiramente exagerada

    Um atentado sem efeitos eleitorais, sondagens que acertaram em praticamente tudo, inexistência do chamado eleitorado envergonhado. E um candidato que se situa no centro político com fortíssimas hipóteses de vencer a segunda volta. As presidenciais francesas tiveram uma chuva de acontecimentos anormais, mas acabam por ser um choque de normalidade. Pelo menos até agora...

    Ricardo Costa

  • "O FC Porto não merece ser campeão"
    2:23
    Play-Off

    Play-Off

    DOMINGO 22:00

    O empate do FC Porto com o Feirense foi o principal assunto do Play-Off da SIC Notícias, este domingo. Rodolfo Reis mostrou-se insatisfeito com a atitude dos jogadores do FC Porto.

  • Défice recua em 2016 na zona euro e na UE

    Economia

    O défice e a dívida baixaram na zona euro e na União Europeia (UE) em 2016 face a 2015, tendo Portugal registado a terceira maior dívida (130,4%) entre os Estados-membros e um défice de 2%, segundo o Eurostat.

  • Incêndio na Amadora deixa 12 pessoas desalojadas
    1:59

    País

    Um incêndio destruiu este domingo a cobertura de um prédio de habitação na Buraca, no concelho da Amadora. Doze pessoas ficaram desalojadas, mas ninguém ficou ferido. Os bombeiros dominaram o fogo em cerca de uma hora, os moradores queixam-se da falta de eficácia no combate às chamas.

  • Uma volta a Portugal. De bicicleta mas sem licra

    País

    Um grupo de professores propõe-se a repetir o percurso da 1.ª Volta a Portugal em Bicicleta, 90 anos depois. Não se trata de uma corrida, pelo contrário querem provar que qualquer um o pode fazer e promover o uso da bicicleta como meio de transporte pessoal. “Dar a volta” parte para a estrada esta quarta-feira, de Lisboa a Setúbal, tal como em 26 de abril de 1927.

    Ricardo Rosa