sicnot

Perfil

Economia

Webasto avança com despedimento coletivo de 90 trabalhadores

A Webasto, empresa que produz o teto retrátil do Volkswagen EOS, pretende avançar com o despedimento coletivo de 90 trabalhadores quando terminar a produção daquele veículo na Autoeuropa, disse hoje João Galvão, da Comissão de Trabalhadores.

(Arquivo)

(Arquivo)

SIC

"A administração da empresa teve de se precaver, porque, apesar de não haver ainda informação oficial sobre o fim da produção do Volkswagen EOS, tudo indica que a Autoeuropa vai deixar de ter esse modelo no sistema de produção a partir de 03 de julho", disse o representante dos trabalhadores da Webasto.

João Galvão adiantou que a Comissão de Trabalhadores já tem um "pré-acordo" com a administração da empresa, que prevê "contrapartidas mais vantajosas para os trabalhadores do que as que estão previstas no Código de Trabalho". 

Questionado pela Lusa, João Galvão disse não ter qualquer informação da administração sobre o eventual encerramento da fábrica da Webasto, embora não exclua essa possibilidade. 

"A empresa não vai encerrar para já. Somos 107 trabalhadores e o despedimento coletivo só abrange os 90 trabalhadores da linha de produção. Possivelmente vai fechar mais tarde, mas, até agora, não nos foi comunicado o encerramento da empresa", frisou.

 O Volkswagen EOS é um carro com capota retrátil produzido na Autoeuropa desde 2006. 

Lusa
  • Os negócios menos claros do filho de Pinto da Costa
    1:55
  • BCE autoriza CGD a avançar com recapitalização

    Caso CGD

    A Caixa Geral de Depósitos informou esta sexta-feira que vai prosseguir com as operações da primeira fase do aumento de capital, depois de ter obtido autorização para isso junto do Banco Central Europeu (BCE) e do Banco de Portugal.

  • Condutores apanhados a mais de 200 em corridas ilegais na Ponte Vasco da Gama
    1:25
  • A história da guerra em Alepo
    7:43
  • Reino Unido em alerta máximo de terrorismo

    Mundo

    O Reino Unido elevou o alerta de terrorismo para o nível máximo depois das declarações, esta quinta-feira, do chefe das secretas britânicas. O diretor do MI6 está preocupado com eventuais ataques contra o Reino Unido e outros aliados.

  • Uma "cidade fantasma" na Letónia
    3:10
  • O anúncio de natal que está a emocionar o mundo
    1:47